Por que existem crianças que não querem estudar

O que os pais podem fazer quando o seu filho não quer estudar

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando a criança começa na educação infantil, sua vontade em aprender é inegável. Cada elogio pelas suas conquistas a impulsiona a querer ir à escola e a se esforçar mais. No entanto, quando vão crescendo e as exigências aumentam, nem todas continuam querendo aprender ou estarão interessadas em estudar. 

Com certeza você já terá ouvido: ‘o meu filho não quer estudar; sempre fica dando desculpas’, ‘não se esforça e não tem vontade’ e sempre se chega à mesma conclusão: é um preguiçoso. No entanto, muito além do que se possa pensar, as causas de que uma criança não queira estudar podem ser várias. 

4 causas pelas quais uma criança não queira estudar

por-que-existem-crianças-que-não-querem-estudar A 

1. Problemas emocionais: Neste caso, pode ser desde estar tristes ou ter medo porque estão vivendo uma situação de bullying escolar ou ter conflitos que não conseguem solucionar com um determinado professor ou seus amigos faz com que seja uma causa provável de que a última coisa que pense seja se concentrar nos seus estudos. 

 2. Baixa autoestima: Nem todas as matérias a gente gosta tanto nem iremos obter os mesmos resultados com o mesmo esforço. Nesses momentos, a frustração e nossas limitações aparecem e com isso as inseguranças dos filhos

3. Falta de autonomia e organização: O estudo é a área que mais se vê afetada se você for um pai superprotetor e o seu filho está acostumado a fazer as coisas contigo e que você tenha que falar sempre quando e como deve começar a estudar. Estudar é uma atividade que requer um planejamento, esforço e independência. Por isso, se você estiver acostumado a fazer essas funções, quando o seu filho for crescendo ele não irá querer estudar se não for contigo. 

4. Dificuldades de aprendizagem: Alguns estudantes podem ter mais problemas do que o restante dos seus companheiros em aprender ou reter certa informação com rapidez e seguir o ritmo da classe. Caso ele não tenha uma atenção adequada durante longos períodos de tempo, quanto mais informação tenha que reter mais lhe vai custar a se concentrar ou poderá ter problemas em compreender a informação. Existem muitas dificuldades e a única forma em que será capaz de resolver as suas dúvidas será procurando um especialista para que possa avaliá-lo. 

4 conselhos para pais com filhos que não querem estudar

Apesar de que seja o seu filho quem deva dar o passo para estudar, você pode seguir certos comportamentos que serão fundamentais para ajudá-lo nessa difícil tarefa: 

1. Averigúe a causa concreta pela qual ele não quer estudar falando com ele e escutando-o sem se chatear ou julgá-lo. Não é o momento para tratar de convencê-lo de nada. 

2. Ser mais flexível. Às vezes, não é que não queira estudar, mas porque sente que as metas que lhes são propostas são altas demais. Pode ser que é você quem quer que ele tire essas notas ou que dedique mais tempo a uma matéria e talvez ele seja mais conformista ou sente que tem outras necessidades ou interesses que o motiva mais que o faz mais feliz. 

3. Sugira prazos curtos. É inútil falar dos planos do verão ou inclusive de um trimestre inteiro. O melhor é viver cada dia e assim acompanhá-lo nesse processo e que sejam conscientes dos objetivos diários. Do contrário a criança se frustrará antes de haver tentado. 

4. Acredite nas suas possibilidades. Se você valorizar suas capacidades, ela também acabará acreditando nas suas. Você tem que demonstrar ao seu filho que valoriza cada esforço que ele fizer e fazê-lo ver isso com demonstrações de afeto. Assim que esqueça as reprovações porque não conseguirão com que estude mais.  

E se lembre: tenha expectativas adequadas às capacidades do seu filho. Muitas vezes, a gente se concentra nos sonhos que temos com eles e no potencial que sempre conseguimos ver. No entanto, é importante não exigir do seu filho mais do que ele estiver disposta a dar. 

Nuria G. Alonso de la Torre

Psicóloga infanto-juvenil