As crianças que falam sozinhas são mais inteligentes

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Existem pessoas que dizem que aqueles que falam sozinhos têm algum tipo de alteração ou loucura, ou simplesmente lhes falta um parafuso, no entanto, a realidade é bem diferente. Essas pessoas não apenas estão bem da cabeça, mas também existe uma conexão entre a inteligência e o que se conhece como fala privada. 

Estudos de importantes universidades revelam que falar consigo mesmo em voz alta ajuda a pensar melhor, a tomar decisões, a organizar os pensamentos e inclusive é uma ferramenta de superação pessoal. Em conclusão, se o seu filho fala consigo mesmo deixe-o, simplesmente é muito inteligente

Por que é bom que as crianças falem em voz alta

as-crianças-que-falam-sozinhas-mais-inteligentes A 

Eu já vi em muitas ocasiões como os meus filhos falavam sozinhos enquanto brincavam e me lembro de minha mãe falando sozinha enquanto fazia as coisas em casa. Sempre me chamou muito a atenção e agora sei que são muito inteligentes

Existem três situações em que as crianças falam consigo mesmos: depois de fazer algo, enquanto fazem algo ou antes de fazê-lo. Em todas essas fases a fala guia o comportamento. Existe um montão de razões pelas quais é positivo que uma criança mantenha essas falas privadas, seja enquanto brinca, quando vai pela rua ou quando está fazendo suas tarefas. Estas são algumas: 

- A criança aprende a pensar já que falar em voz alta estimula o pensamento lógico.

- É um excelente veículo para expressar sentimentos e emoções.

- Muitas crianças falam sozinhas enquanto brincam e com esse simples ato estão estimulando o desenvolvimento da linguagem

- Promove o conhecimento do meio: a criança está aprendendo a compreender o que acontece ao seu redor mediante a explicação verbal do meio.

- Ajuda a ordenar o pensamento: é uma forma estupenda de se organizar para alcançar seus objetivos ou metas

- Potencializa a hora de realizar uma tarefa, já que a criança vai dizendo em voz alta todos os passos que necessita realizar. 

- Ajuda com que a memória trabalhe mais rápida porque quando se fala o que se pensa enquanto se movimenta favorece com que a informação fique armazenada. 

- Reforça a aprendizagem: se a criança fala em voz alta o que está fazendo, ou o que tem que fazer ou o que fará estimula a capacidade de aprender. 

- Promove o conhecimento em si mesmo: a criança, ao escutar sua voz interna conhece melhor como é e por que age de uma determinada maneira. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com