O vínculo especial entre pais e filhas

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A gente sempre ouve que os meninos são mais apegados à mamãe e as meninas ao papai. Talvez, isso te soe como um mito, mas no fundo é verdade (ainda que haja exceções). 

O vínculo que existe entre pais e filhas é único. Pode ser que nos custe explicá-lo com palavras. Por isso, uma famosa ilustradora ucraniana, Snezhana Soosh, quis demonstrar dessa forma. 

As meninas são do papai

o-vínculo-especial-1 A 

Ilustração: Snezhana Soosh (@vskafandre)

Os pais sentem uma afinidade especial pelas filhas. E suas filhas pelos seus pais. De fato, em certa idade (em torno dos 9 anos), muitas meninas sentem ‘amor platônico’ por seus pais. É uma mistura de carinho, ternura e admiração. É o chamado complexo de Electra. 

Numerosos estudos têm revelado esses dados: durante os primeiros 3 anos, as meninas estão mais unidas às suas mães. No entanto, segundo vão crescendo, tomam como padrão inspirador os seus pais. Em muitos casos, segundo esses psicólogos, essa vivência pode chegar a determinar a relação que no futuro a filha tenha com os homens. Os pais se sentem mais generosos e carinhosos com suas filhas, mas também mais protetores e conservadores. Esse vínculo tão especial acontece quando a filha chega à adolescência. 

As ilustrações que expressam o vínculo entre pais e filhas 

A ilustradora Snezhana Soosh criou uma série de aquarelas para expressar o que os pais sentem por suas filhas e as filhas pelos seus pais... Nelas, a artista analisa tudo o que os pais são capazes de fazer por suas filhas: 

Ilustrações: Snezhana Soosh (@vskafandre)

- Matar monstros e velar o sono das suas filhas. 

- Levá-la nos ombros para que possa ver tudo de um lugar privilegiado.

o-vínculo-especial-2 A 

- Ser colchão e travesseiro para assegurar o seu descanso. 

- Ajudá-la a cumprir seus sonhos. 

- Tornar-se pequeno. Deixar mais espaço para a sua filha.

o-vínculo-especial-3 A

- Interromper o trabalho para brincar com ela. 

- Idealizar mil histórias para ver o seu sorriso mais uma vez. 

- Vencer o senso de ridículo pela sua filha. 

- Alimentar a imaginação da sua pequena.

o-vínculo-especial-4 A 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com