A comunicação e o vínculo do papai com o seu bebê

Vilma Medina

Vilma Medina

Estou convencida de que a linguagem que os pais têm com os bebês não é a mesma que as mamães têm com seus pequenos. É como se falassem outro idioma entre eles. O vínculo da mãe com o seu filho é criado com o pequeno ainda quando está no seu ventre. O vínculo que o pai estabelece com seu filho é mais tardio. Nem sempre se consegue quando o bebê nasce. Existem pais que demoram meses para se conectar completamente com seu filho. 

A ternura dos papais com seus bebês

a-comunicação-e-o-vínculo-papai-bebê A

O vínculo da mãe com o seu bebê nasce e renasce a cada momento, durante o aleitamento, ou a troca das fraldas, na hora de dormir, de passear, de carregá-lo nos braços. Quanto aos pais, conectar com o bebê representa um grande desafio para eles. Os papais não podem tratar de ser ‘outra mamãe’, nem devem. Devem ser eles mesmos a estabelecer um vínculo com o filho à sua maneira. Finalmente, cuidar de um bebê recém-nascido não implica somente em dar-lhe o peito, ou tê-lo limpo e estimulado. Também requer criar vínculos afetivos através do tato, das brincadeiras, de levá-lo para dormir, dar atenção e falar com ele. 

É enriquecedor para o bebê que tanto a mãe como o pai estabeleçam um canal de comunicação e um vínculo com ele. Meu marido, no início lhe parecia impossível trocar as fraldas da nossa filha ou dar-lhe de comer. Ele aprendeu pouco a pouco, mas porque quis e se propôs a isso. Existem pais que não chegam nem a isso. Eles têm medo de se ‘sujar’ ou ‘matar a criança de fome’. Alguns pais são muito engraçados. Eu me lembro que para o seu filho dormir, um vizinho descia com o carrinho no pátio e dava voltas e mais voltas com o pequeno até que este caia rendido e adormecia.

Os pais têm uma forma muito particular de conectar com seus filhos. Sem dúvida, muitos deles são mais inteligentes, mais criativos e menos medrosos que as mamães. Os papais são muito particulares neste tema, principalmente quando o bebê ainda é muito pequeno. Alguns só conseguem interagir com seus filhos a partir dos seis meses, quando o bebê já tem a cabeça mais ereta e começa a balbuciar algumas palavras. 

No entanto, os tempos mudam e se nota que hoje em dia os pais se envolvem muito mais no cuidado com o bebê. Não importa se no nosso parecer eles estejam fazendo bem ou ruim. O que importa é que eles estão tentando. Mas, por incrível que pareça existem pais que cuidam melhor dos seus bebês do que as mães. Existem pais que o fazem maravilhosamente bem. Pode ser que não consigam vestir bem ao bebê (pelo menos na combinação das roupas), mas levá-lo para passear, para o pediatra ou para a creche, ele o faça com excelência. Sugerir aventuras enquanto come, ou acalmá-lo na hora de dormir ou ler um conto para o pequeno, muitos pais fazem muito bem. Não sei se é por isso, mas a primeira palavra que os bebês costumam dizer é ‘papai’. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com

Como potencializar o vínculo entre irmãos

Como potencializar o vínculo entre irmãos

A relação entre irmãos é sem dúvida muito importante para a família, já que é uma relação que durará a vida toda. Como pais, é muito importante que se potencialize o vínculo entre irmãos, mas o que você pode fazer para se assegurar que o vínculo entre irmãos seja positivo?

Como criar o vínculo com crianças em uma adoção

Como criar o vínculo com crianças em uma adoção

Um acontecimento que pode preocupar muito aos pais que adotam é a criação do vínculo, ou seja, estabelecer uma relação firme e segura com a criança que a faça confiar de forma sincera que você sempre estará ali e que nunca vai abandoná-la.

Relação entre irmãos: ter um irmão mais velho

Relação entre irmãos: ter um irmão mais velho

Quando eu comecei ir à escola, eu tinha seis irmãos em cursos superiores. Ainda que esteja claro que hoje em dia isso não seja nada comum, esta situação tinha muito mais vantagens do que desvantagens no âmbito escolar. O que eu nunca irei me esquecer é que ninguém, mas ninguém mesmo, se atrevia a se meter comigo.

O vínculo afetivo do bebê, mais do que um Direito

O vínculo afetivo do bebê, mais do que um Direito

O afeto, o carinho e a segurança moral e material são fundamentais para o desenvolvimento emocional, social e intelectual das crianças. Desde o seu nascimento, o vínculo afetivo que os pais estabelecem com o seu bebê é tão importante que está contemplado como um direito fundamental na Declaração dos Direitos da Criança, que todo 20 de novembro celebra o seu aniversário.

Abrace e beije o seu bebê. É mais que saudável

Abrace e beije o seu bebê. É mais que saudável

Quando carrego meu bebê nos braços para niná-lo, cantar para ele, alimentá-lo e olhar para ele com ternura ou beijá-lo eu me sinto tão bem... Por isso não é de se estranhar que de todas essas demonstrações de amor e afeto saia algo de positivo e benéfico também para ele.

Como chegar ao coração dos filhos

Como chegar ao coração dos filhos

Sem dúvida alguma, o senso comum, a improvisação, a dedicação e, é claro, o amor que lhes oferecemos são ferramentas imprescindíveis na formação dos nossos filhos e não se pode comprar com o ouro de todo o mundo.

0 comentarios