Que ‘cara de pau’ tem alguns pais

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Uma mãe nos escreveu compartilhando uma inquietação. Acontece que há alguns meses, um amigo do seu filho de 8 anos, que vive perto da sua casa, passa praticamente todos os finais de semana na sua casa. Só vai pra sua casa para dormir. Ela já não sabe o que fazer porque o seu marido se queixa e ela o entende. Ela pergunta à criança sobre o que os seus pais dizem sobre isso, e a criança responde: ‘para os meus pais tanto faz, desde que eu não os incomode’. E essa mãe nos pergunta: ‘o que devo fazer?’

Os diferentes tipos de pais

que-cara-de-pau-tem-alguns-pais A 

Acredito que existam diferentes maneiras de exercer a paternidade e a maternidade. Por um lado estão os pais atentos, cuidadosos, detalhistas e que sempre estão ao lado dos seus filhos e inclusive ao lado dos filhos dos outros. Por outro lado, estão os que amam os seus filhos, mas que não estão atentos a eles, nunca tem tempo para eles e sempre estão caçando alguém para que possa entretê-los.

Se existe uma mãe que se preocupa com sua filha, que gosta de estar com ela, brincar e conversar, este é o meu caso. Não me orgulho disso porque vejo como um prazer e não como uma obrigação, e talvez por isso, eu não entenda outra forma de ser pai e mãe. Existem alguns pais que, utilizando qualquer tipo de desculpa, sempre estão buscando formas de se esquivar ou escapulir dos filhos. Se a criança quer ir ao cinema, os pais chamam a avó, contanto que ela leve os seus netos. Existem pais que, ainda que tenham tempo, não comparecem às reuniões da escola dos filhos nem se preocupam em tirar o traseiro da poltrona para dar um passeio com eles.

Penso que uma coisa é que, por alguma necessidade, uma urgência ou inclusive para poder gozar de algum prazer pontual, você peça a algum amigo ou amiga que possa ficar com o seu filho, outra coisa é que, como norma geral, você torne o seu amigo ou vizinho como o responsável pelo seu filho, dia sim, e outro também. Existem atitudes de pais que parecem de ‘filme’. Conheci alguns pais de família numerosa que quando um dos seus filhos era convidado para um aniversário, eles se aproveitavam da boa vontade dos demais e também deixavam os outros filhos na festa, como se nada tivesse acontecido. Quem iria dizer-lhes que não? 

Conheço crianças que não somente estão o tempo todo com a babá durante a semana, mas também aos finais de semana. Não estou aqui para julgar ou tentar justificar sobre a ‘cara de pau’ ou ‘a cara feia’ de alguns pais, nem tão pouco colocá-los contra a parede, qualificá-los ou julgá-los. O que pretendo dizer a esses pais é que nós, que estamos do outro lado, a gente se dá conta disso, da sua passividade, da sua impaciência, egoísmo, da sua intolerância com as crianças. A tarefa dos pais também inclui se sacrificar e renunciar a muitas coisas pessoais, para estar com os filhos. Que eles consigam perguntar a si mesmos por que decidiram ser pais, uma vez que, com suas atitudes, mostram o contrário. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com