Ser uma mamãe exigente tem o seu lado bom

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

‘Beba todo o leite’, ‘recolha os brinquedos’, ‘vá tomar banho agora’, ‘coloque o agasalho’... As mamães parecem estar sempre dando ordens e broncas como se fôssemos um general diante de soldados. 

É verdade, as mães às vezes são um pouco exigentes, mas o que seria da organização e educação dos nossos filhos se não fôssemos tão rígidas? Se você, como mamãe vai se deitar pensando que é um ogro por sempre estar repreendendo aos seus filhos, a gente mostra que isso tem o seu lado positivo. 

Às vezes ser uma mãe tão rígida não é tão ruim

ser-uma-mamãe-exigente-tem-o-seu-lado-bom A

Como mãe de três filhos eu tenho que confessar que de vez em quando eu tenho que me comportar como um sargento ou o dia a dia se torna num caos. Ser uma mamãe exigente tem, é claro, suas desvantagens, tanto para as crianças como para si mesma. 

Eu já pensei algumas vezes como posso estar sendo cansativa, tanto que eu fico enfadada só em me ouvir, no entanto, nesta ocasião, ao invés de me criticar por ser assim com meus filhos eu prefiro pensar nas coisas boas que acontecem quando se é uma mamãe um pouco chata, mas espero que sirva para você também: 

- Você estará impondo normas e limites: algo fundamental, segundo todos os especialistas para as crianças. Toda criança necessita na sua aprendizagem e para se desenvolver plenamente, para se adaptar ao meio, para poder ter êxito no futuro.  

-  Forja o seu caráter: as crianças ainda não têm um critério maduro, e as mães estão ajudando e facilitando esse caminho, ainda que seja pelo fato de ser muito rígidas.  

- Ensina a se comportar: as crianças estão aprendendo a se comportar, e você está ajudando-as a fazê-lo para evitar que tenham problemas de comportamento mais adiante. O seu filho será menos impulsivo e menos descontrolado. 

- Impõe rotinas: as rotinas são fundamentais na infância; faz com que as crianças sejam mais organizadas, menos preguiçosas e mais responsáveis.  

- Cuida do seu bem estar: se não fôssemos tão exigentes com coisas básicas como que a criança vá abrigada, ela adoeceria mais; se não nos preocupássemos que ela recolhesse seus brinquedos, seria uma criança bagunceira; se não insistíssemos que comesse frutas, não estaria realizando uma alimentação completa...  

Em todo o caso, não é ruim que as mães e os pais façam exame de consciência constantemente e analisemos se o que estamos fazendo poderíamos fazê-lo melhor. De vez em quando a gente poderia ser um pouco mais light, mas de vez em quando!  

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com