A ‘carinhoterapia’ do Papa Francisco para crianças hospitalizadas

Vilma Medina

Vilma Medina

Os tratamentos médicos são básicos para que as crianças que estão doentes se recuperem. Disso a gente não tem dúvida, mas existe outro remédio que ajuda as crianças melhorarem. É um tratamento sem custos, não custa dinheiro algum, qualquer um pode aplicar, inclusive aqueles que não são médicos e não é necessário buscá-lo em lugar algum. Está em toda parte.  É o carinho

O Papa Francisco deixou isso muito claro numa visita a um hospital do México, agradecendo a todas as pessoas que ajudam as crianças que estão doentinhas com ‘carinhoterapia’. 

O Papa Francisco aposta na carinhoterapia para crianças enfermas

papa-francisco-carinhoterapia A 

O Papa Francisco tem feito a palavra ‘carinhoterapia’ dar a volta ao mundo. Em sua recente visita às instalações do hospital pediátrico Federico Gómez no México ele se dirigiu a todas as crianças que estavam internadas, muitas delas doentes de câncer. Suas palavras foram: ‘agradeço a todas as pessoas que não apenas com as medicações, mas com a carinhoterapia ajudam com que este tempo seja vivido com maior alegria’. 

O Papa não apenas deu um discurso, mas também o fez com o exemplo. Ele abraçou, deu ânimo para cada uma das crianças que encontrou durante sua visita ao hospital. Inclusive vacinou uma das crianças contra a pólio, aplicando-lhe umas gotinhas por via oral. 

É possível curar com o carinho? 

Talvez os remédios façam grande parte do trabalho, mas o carinho ajuda e muito. Da mesma forma que a falta de carinho atrasa o crescimento das crianças e aumenta a probabilidade de sofrer de infecções e gera estresse e ansiedade, dar carinho produz grandes êxitos. Todos nós sabemos que não é a mesma coisa se atendido por enfermeiras e médicos distantes e sérios do que por profissionais carinhosos, amáveis e que transmitem positivismo e alegria.

As crianças, mais ainda quando estão doentes necessitam se sentir amadas, protegidas e compreendidas. Pegá-las pela mão, dar-lhe carícias ou dizer-lhes umas palavras bonitas são ações que não custam nada, e, no entanto, contribui tanto para elas, que não fazê-lo deveria ser considerado um delito.

Dizem que o estado de ânimo é fundamental na superação de uma doença. Também dizem que o amor da família é o melhor tratamento para os doentes de Alzheimer, e inclusive que as terapias com animais são excelentes para tratar alguns transtornos. Tudo isso tem um ingrediente fundamental: o carinho

Existe coisas que são tão evidentes que não faria falta nenhuma dizê-las, e, no entanto, continua sendo necessário, do contrário a proposta do Papa Francisco não teria dado a volta ao mundo. Talvez com a proposta de realizar ‘carinhoterapia’ às crianças hospitalizadas, esses profissionais mais distantes e ásperos reflitam o quanto a criança necessita doente necessita de uma carícia e palavras de alento e quanto isso influencia na sua melhora. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

As doenças raras também afetam as crianças

As doenças raras também afetam as crianças

O dia 28 de fevereiro se celebra em todo o mundo o Dia das Doenças Raras. São doenças, na sua maioria, genéticas (80% dos casos), que afetam 8% da população mundial. 50% são crianças. Nascem com alguma mutação em algum dos seus genes.

As Doenças Raras. Características e sintomas

As Doenças Raras. Características e sintomas

As Doenças Raras são um grupo de doenças que afetam a poucas pessoas, a maioria desde o seu nascimento, pelo seu caráter genético, e são responsáveis por 35% dos falecimentos durante o primeiro ano de vida.

Crianças hospitalizadas

Crianças hospitalizadas

Se uma criança tem que estar bastante tempo internado em um hospital, ela necessitará de cuidados e de carinho. Tanto as enfermeiras como todo o pessoal médico buscam fazer o possível para que as crianças se sintam à vontade.

A criança após a hospitalização

A criança após a hospitalização

Quando a criança volta para casa após ter estado muitos dias internada no hospital, representa uma alegria para todos. Mas, lidar com esta situação também requer trabalho e paciência. É normal que o caráter e o humor do seu filho sejam alterados.

0 comentarios