Como os bebês descobrem a si mesmos

O conhecimento dos bebês de si mesmos e do mundo que os rodeia

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Uma das áreas que devemos trabalhar com as crianças desde praticamente seu nascimento é o conhecimento delas mesmas, ainda que já estejam preparadas para ir desenvolvendo os diferentes conhecimentos, inclusive se não as ajudarmos. A natureza é muito sábia. Uma das coisas mais surpreendentes de trabalhar com crianças desde os quatro meses é sua evolução. Os bebês, desde o princípio, vão adquirindo uma série de conhecimentos, que os adultos nem imaginam, pelo menos na hora que têm o seu primeiro filho.

O conhecimento dos bebês de si mesmos

O conhecimento dos bebês de si mesmos

Assistir como a criança vê pela primeira vez suas mãozinhas sem se dar conta que são parte dela é muito mágico. O mesmo acontece com os pés, inclusive quando tentam “calibrar” as distâncias e o controle do seu corpo com seu cérebro.

Esses primeiros anos de vida, são fundamentais para que a criança consiga desenvolver suas habilidades motoras, sua imagem pessoal e sua posição diante do resto da sociedade. São processos muito complexos, que a natureza consegue que para o bebê seja muito simples.

Mesmo se uma criança não for a uma creche, é evidente que não terá nenhum problema para conseguir todos esses objetivos, já que nosso cérebro está programado com uma série de instintos naturais que conseguem com que a criança, sem saber porque, tenda a aprender.

Um dos pontos mais importantes para o conhecimento de si mesmas e do mundo que nos rodeia é a curiosidade do ser humano. Muitas vezes falamos como os adultos são fofoqueiros. E isso já nasce com a gente. A curiosidade será o motor para a aprendizagem da criança.

A vontade de investigar e entender, curiosamente vai diminuindo com a idade em muitas pessoas. Isso fará que nos tornemos mais acomodados ao “terminar” o aprendizado. Se não perdermos a curiosidade nunca pararemos de aprender.

Mas se a criança aprende sozinha, o que é feito na creche para potencializar esse aprendizado de si mesma? É muito simples: a motivação. Nem todos somos igualmente curiosos. Na creche a criança é mais estimulada se lhes damos mais coisas para investigar de uma forma organizada. Assim conseguiremos um aprendizado mais efetivo no futuro. Além disso, cada criança tem suas próprias necessidades, por isso devemos tratar cada uma de forma diferente. Assim, por exemplo, uma criança pode ter menos força nas pernas que outra, trataremos de realizar exercícios nas pernas para diminuir esse problema. 

Mas há um ponto mais importante no conhecimento de si mesma. A criança durante os primeiros anos de vida vão formando sua imagem pessoal, com a qual se identificam a si mesmas. Se a criança cria uma imagem ruim de si própria, mais adiante será mais difícil mudá-la. Por isso é importante motivar a criança o quanto antes, trabalhando dia a dia na sua imagem. Por exemplo, podemos ajudar as crianças tímidas a se socializarem. Antes dos três anos, é muito mais fácil para os pais eliminarem a timidez da criança do que quando ela tiver dez anos. Muitas vezes olhamos o primeiro ciclo de educação infantil apenas como uma fase em que a criança brinca com outras crianças e fique entretida, e não nos damos conta que durante esses primeiros anos, o que estamos fazendo é fixar os pilares fundamentais da educação, para começar a aprender e se relacionar. 

Celia Garabaya
Técnica Superior em Educação Infantil
Infant massage instructor by IAIM (Educadora em massagem infantil)
Colaboradora de GuiaInfantil.com