10 conselhos para educar crianças no otimismo

Como ensinar nossos filhos a serem otimistas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Existem crianças que são especialmente negativas. É como se tivessem um radar para detectar todas as coisas que não caem bem, todo o mal que não têm, e se antecipam negativamente pensando que tudo não vai dar certo, de tal maneira que não tentam executar algumas coisas porque sempre pensam que não vão ser capazes ou vão se dar mal. 

Não são capazes de se dar conta do seu valor, e em longo prazo pode gerar um problema de insegurança pessoal e baixa autoestima, além de impedi-las de serem felizes, pois em algumas ocasiões esse tipo de pensamento e de condutas lhes impede de enfrentar com êxito as situações do dia a dia. 

Como ajudar as crianças pessimistas

Como educar uma criança otimista e positiva 

É fundamental que essas crianças aprendam a enfrentar o seu negativismo e contem com técnicas e estratégias para superá-lo. Trata-se de que se façam fortes diante das contrariedades do dia a dia e que sejam capazes de se concentrar nos aspectos positivos, ao invés de ficarem atrapalhadas com os negativos. 

Antes de tudo, devemos lembrar que o nosso próprio exemplo é a melhor forma de ensiná-las como enfrentar o dia a dia de forma positiva. 

Dez conselhos para conseguir que a criança seja otimista 

1. Analise a situação. Em que momento o seu filho tem essa atitude pessimista? É uma atitude constante, ou é na hora em realizar algumas tarefas que sabem que vai acontecer o pior? 

2. Treine com o seu filho aquelas tarefas em que se sai pior. Isso fará com que ele consiga ter confiança em si mesmo. 

3. Comece a trabalhar desde o nível em que a criança se encontra, pedindo-lhe coisas que sabemos que ela pode conseguir. Se o nível de exigência é muito alto, a criança pode se frustrar ao saber que não irá conseguir e favorecer seus pensamentos negativos. 

4. Trabalhe a importância do esforço desde pequeno. Que saiba que diante das adversidades, a resposta não é a queixa nem verbalizações negativas como ‘não posso’, ‘é que é muito difícil’ ou ‘eu não consigo’. 

5. Reforce-o muito quando sai bem e que seu filho se sinta importante e orgulhoso

6. Faça com que ele perceba que tem mais atenção nas atitudes positivas do que nas negativas. 

7. Quando estiver muito bloqueado, não é o momento de falar com ele, nem de dizer que ele tem que raciocinar. É melhor esperar que isso passe logo, pois por mais que lhe ensinemos para que veja as coisas de forma positiva, primeiro ele necessita ‘desconectar’ antes de continuar com outra tarefa. 

8. Ressalte suas qualidades, enumere ou faça uma lista com ele das coisas que ele possa se dar bem, por pequenas e insignificantes que pareçam, para que ele aprenda a valorizá-las. 

9. Ensine a criança a se aceitar como é. Temos que aprender a gostar de nós mesmos desde pequenos com nossas limitações. Nem sempre se pode ser o melhor jogando futebol ou basquete. O importante é se esforçar para fazer as coisas da melhor forma possível. 

10. Não podemos nos esquecer que a principal fonte do aprendizado das crianças é o exemplo. As crianças copiam aos adultos, principalmente aos seus pais. Sejamos um modelo de superação diante das adversidades e não de negatividade. 

Silvia Álava Sordo
Psicóloga
Colaboradora de GuiaInfantil.com