10 passos para fazer da criança um delinquente

Decálogo para pais de Emilio Clatayude, juiz de menores

Vilma Medina

Vilma Medina

Uma criança malcriada pode se tornar, quando adulto, num adolescente ou adulto delinquente. E a culpa a terão, seguramente os pais. Tão importante é impor limites e normas como ter muito claro o que não faça bem à criança, por mais difícil que seja. 

O juiz de menores espanhol Emilio Calatayud, tem descrito um decálogo sobre a má educação que alguns pais exercem (às vezes sem se dar conta) com seus filhos. Os 10 pontos-chave que podem fazer da criança um delinquente. 

10 coisas para evitar que o seu filho não seja um adolescente delinquente

10-passos-para-fazer-da-criança-um-delinquente A 

1. Dar-lhe tudo o que deseja. Assim, ele crescerá convencido de que o mundo inteiro lhe deve tudo. 

2. Rir das suas grosserias, besteiras e gritos. Assim, ele crescerá convencido de que é muito engraçado e não entenderá quando na escola lhe chamem a atenção pelos mesmos fatos. 

3. Recolher tudo o que ele vai deixando espalhado. Assim, ele crescerá pensando que o mundo todo está à sua disposição: sua mãe em primeiro lugar. 

4. Nunca lhe diga o que está ruim. Ele poderia adquirir complexos de culpa e viver frustrado. Primeiro acreditará que o perseguem e mais tarde acreditará que a culpa é da sociedade.  

5. Que todos os seus desejos sejam satisfeitos na mesma hora. Comer, beber, divertir-se... De outro modo ele poderia se frustrar! 

6. Deixe-o ver e ler de tudo. A sujeira de pratos e talheres pode ser limpa com detergente, mas deixar com que a criança assista e veja qualquer porcaria. Logo deixará de ter um critério de julgamento correto. 

7. Pai e mãe discutindo diante dele, assim ele irá se acostumando. Quando a família estiver destruída ele achará mais do que o normal e não se dará mais conta. 

8. Dê-lhe todo o dinheiro que quiser. Assim crescerá pensando que para dispor de dinheiro não precisa trabalhar, basta pedir.  

9. Não lhe dê nenhuma formação espiritual. Ele irá escolher quando for adulto! 

10. Dê-lhe sempre a razão. São os professores, as pessoas, as leis quem têm a culpa por ele ser assim. 

Decálogo de Emilio Calatayud, juiz de menores em Granada (Espanha).

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com

Como aplicar limites aos filhos

Como aplicar limites aos filhos

As crianças precisam de limites. Como educar com disciplina nossos filhos. Uma disciplina eficaz na hora de aplicar limites aos nossos filhos é o mais importante. Se apresentamos uma boa regra, nosso filho estará disposto a cumpri-la porque o que eles querem é nos agradar.

Crianças que maltratam suas babás

Crianças que maltratam suas babás

Falta de limites, muita permissividade ou um transtorno de conduta? Como são as crianças que maltratam seus cuidadores e por que o fazem?

Os pais tiranos

Os pais tiranos

Existem pais que pensam que têm um conhecimento superior e sentem que o seu destino é pressionar as pessoas em seu próprio benefício. Humilhar aos outros os fazem se sentir bem. Quando não conseguem com seus companheiros fazem isso com seus filhos.

Quem consente mais, papai ou mamãe?

Quem consente mais, papai ou mamãe?

Em toda família tem o pai ‘bom’ e o pai ‘ruim’. O pai bom dá carinho, segurança, compreensão, liberdade e criatividade. O pai ‘ruim’ impõe limites, ordem, disciplina. Em alguns lares, tanto a mãe como o pai tenta ser o mais exigente ou mais permissivo. Mas, não nos enganemos. Na maioria das casas existe sim um pai bonzinho. E, é claro, um pai ruinzinho. Quem dos dois é bom ou ruim? Papai ou mamãe?

Erros dos pais permissivos

Erros dos pais permissivos

Quando se exerce autoridade se diz ao filho de maneira indireta que os pais sabem o que é melhor para ele. E antes de exercer essa autoridade já foi criado um vínculo de confiança e uma base que não pode existir se formos demasiadamente permissivos.

Avós: ajudam a criar ou deixam netos malcriados?

Avós: ajudam a criar ou deixam netos malcriados?

Os avós... Como são importantes na educação das crianças. É possível que tenham sido pais exigentes, duros ou autoritários, mas na sua velhice a gente percebe uma mudança na sua personalidade e se tornam pacientes, tranquilos e permissivos no trato com seus netos. Eles adoram fazer as vontades dos netos, mas no final das contas a gente não consegue viver sem eles.

0 comentarios