Consequências do pai ausente nas crianças

Levantar cedo, preparar o café das crianças, levá-las correndo para a escola, chegar ao trabalho correndo, voltar do trabalho correndo, pegar os filhos na escola, levá-los para as atividades extraescolares, e aproveitar esse tempo para comprar algo para a casa. Esse é o dia a dia de muitos pais e mães e no final do dia sobra muito pouco tempo para ficar com os filhos

No melhor dos casos, pelo menos você pode perguntar: ‘como foi na escola?’. Mas, o que acontece no caso de pais que saem para trabalhar antes que as crianças despertem e voltem à noite quando elas já estão dormindo? O que acontece quando o pai está totalmente ausente? 

10 consequências do pai ausente

consequências-do-pai-ausente-nas-crianças A

O vínculo entre pais e filhos e o contato nos primeiros anos de vida é essencial, mas esse vínculo deve ser mantido mais além da terna época de bebê. As crianças necessitam de uma referência para crescer, um espelho em quem se inspirar e uma pessoa que lhe acompanhe lhe escutem e que esteja com elas quando necessitarem. No caso das crianças que tenham pouco contato com seus pais, podem ter no futuro todos esses problemas:  

1. Pouca confiança em si mesmo. Sem dúvida, a criança terá baixa autoestima e não será capaz de acreditar em si mesma. Esso será um grande obstáculo na hora de tomar decisões importantes. 

2. Desconfiança nos outros. Como vão confiar nos outros se nem sequer seus pais têm estado ali quando precisam? Isso desencadeará em problemas para se relacionar com os demais

3. Problemas de comportamento. Muitas crianças buscam chamar a atenção dos seus pais e o faz se transformando em pequenos rebeldes. Elas se comportam mal na escola, utilizam a agressividade e não obedecem as normas e tudo o que é necessário. É uma ‘chamada de atenção’ aos seus pais. 

4. Problemas emocionais. A falta de carinho na infância pode gerar um adolescente com sérios problemas para controlar suas emoções. Ninguém o ensinou a fazê-lo. Durante a adolescência a criança enfrenta numerosos sentimentos que podem minar uma personalidade frágil.  

5. Constantes dúvidas. Não ter um referencial firme na infância faz com que quando forem adultos não tenham claras todas as normas. Por isso, podem se transformar em adolescentes indecisos e dúbios com problemas para tomar decisões importantes e, sobretudo com uma incapacidade de se comprometer. 

6. Comportamentos compulsivos. No futuro, as crianças de famílias com pais ausentes tendem a ser pouco racionais, a se deixar levar pelos impulsos. Elas sentirão ansiedade e estresse e, com frequência comportamentos agressivos. 

7. Depressão. A angústia de não ter um referencial emocional junto a ela pode desencadear na criança uma depressão.

8. Problemas mentais. Em casos extremos, essa ausência paterna e materna no núcleo familiar pode gerar problemas graves a nível psicológico, como são os transtornos de personalidade. 

9. Adultos dependentes em excesso. Essas crianças serão adolescentes com uma dependência no futuro em buscar alguém que preencha esse vazio que sentem. Isso pode levá-los a buscar de forma doentia a pessoas que cuidem delas. Elas têm medo de serem rejeitadas e que sejam abandonadas. Por isso, serão capazes de se sacrificar em excesso com a finalidade de ter alguém do seu lado. 

10. Contínuo vazio interior. É como um buraco que não conseguem tapar. Às vezes essa falta de carinho dos seus pais na infância lhes acompanharão para sempre. 

Lembre-se: a criança não apenas está sozinha quando os pais não estão em casa. Elas estão sozinhas quando os pais não estão com ela, ainda que estejam em casa. Estão sozinhas quando lhes destinam a assistir televisão para que não incomodem ou a brincar com um tablet. Se você quiser que o seu filho seja um adulto saudável dedique um pouco do dia (com qualidade) para estar com ele, a escutá-lo e, sobretudo a abraçá-lo e amá-lo. 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com

  • Tipos de pais e a comunicação com os filhos
    Tipos de pais e a comunicação com os filhos

    Conhecendo o perfil de cada pai e mãe. Em função das palavras que dirigimos às crianças, podemos comunicar uma atitude de cumplicidade, ou pelo contrário, de ignorância e desatenção.

    • Os pais tiranos
      Os pais tiranos

      Existem pais que pensam que têm um conhecimento superior e sentem que o seu destino é pressionar as pessoas em seu próprio benefício. Humilhar aos outros os fazem se sentir bem. Quando não conseguem com seus companheiros fazem isso com seus filhos.

    • Como são os pais helicóptero. Superproteção dos filhos
      Como são os pais helicóptero. Superproteção dos filhos

      Superprotetores e intrometidos, assim são os ‘pais helicóptero’, um fenômeno da sociedade atual que, ainda que pareça uma coisa rara, está presente entre nós, entre amigos e familiares. Os pais helicóptero querem resolver e superproteger seus filhos de tudo.

0 comentários