A alimentação no pós-parto

Alimentos mais benéficos após o parto

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É provável que a alimentação seja uma das últimas prioridades da mulher durante as primeiras semanas após a maternidade, com todas as mudanças que foram produzidas e ainda estão sendo assimiladas. Certos alimentos podem ajudar a manter os níveis de energia apropriados para enfrentar as tarefas da recém-estréia como mamãe, e também controlar as mudanças de humor que a torrente hormonal pode causar-lhe.

Por outro lado, um apropriado acréscimo de líquidos é primordial para diminuir a retenção de líquidos que pode se arrastar desde o final da gravidez, e ajudar a mãe a se livrar de pequenos edemas que possam ter aparecido. O álcool e as bebidas com cafeína não ajudam nesse trabalho, assim que convém diminuir sua ingestão ou eliminá-los da dieta. 

Quais alimentos são mais recomendáveis no pós-parto

a-alimentação-no-pós-parto A

- Alimentos ricos em Omega 3: Alguns estudos recentes relacionam a ingestão de alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3 com uma menor incidência em depressões pós-parto. Ainda que o mecanismo não esteja totalmente claro, está provado que os ácidos graxos ômega 3 favorecem o correto funcionamento do cérebro, e isso poderia, de algum modo, prevenir a depressão. Os peixes e os frutos secos são os principais aliados para garantir o aporte desses ácidos. Se, além do mais, a mãe estiver amamentando o seu bebê, o peixe e o marisco proporcionam uma quantidade extra de iodo, o único micronutriente que possa ser necessário suplementar nas mães lactantes. Um punhado de frutos secos e uma garrafinha de água tornam-se um lanchinho muito saudável para repor as forças durante as mamadas.

- Os produtos lácteos: A serotonina é um neurotransmissor implicado diretamente nas alterações de humor e outros processos emocionais que acontecem no cérebro. Manter níveis de serotonina suficientemente elevados na recente amamentação pode diminuir a possibilidade de depressão pós-parto. Este aumento se consegue com alimentos como o leite e os produtos lácteos, os carboidratos de absorção lenta e alguns alimentos de origem animal, em geral, carne peixe e frango. Além disso, estes últimos favorecem também um bom aporte de proteínas, que é muito importante para a mãe lactante, já que as necessidades nutricionais da mulher, em termos de proteínas, se vêem incrementadas durante o período do aleitamento.

- Alimentos ricos em ferro: Por outro lado, e dada à perda de sangue durante o parto, e mais ainda se tenha acontecido o parto cesárea, é recomendável consumir alimentos ricos em ferro durante as primeiras semanas. A carne vermelha facilita o ferro de melhor qualidade para o organismo, enquanto que na opção vegetariana, os legumes e as verduras de folha verde seriam a melhor opção. Não convém esquecer que, acompanhar estes alimentos de origem vegetal de algum alimento rico em vitamina C, como a laranja, facilita a absorção do ferro. 

Outras recomendações de alimentação no pós-parto

Manter o nível de açúcar no sangue deve ser feito mediante carboidratos de absorção lenta, como o arroz ou os cereais, preferivelmente integrais, já que contribuem com uma dose maior de vitaminas, e o seu valor nutricional é muito maior do que o produto refinado. Os carboidratos de absorção lenta ajudam a controlar a ingestão calórica proporcionando energia que irá se liberando lentamente.

No entanto, torna-se frequente a necessidade ou o desejo de consumir doces, pouco saudáveis e geralmente mais calóricos. Nessas situações, uma porção de chocolate, preferivelmente negro, pode resultar até benéfico, já que além de aplacar essa necessidade de doce, diminui a ansiedade que poderia produzir a negação, aumentando assim os níveis de serotonina. 

Dentro dos carboidratos de absorção rápida, as frutas são a melhor opção, ainda que ocasionalmente possam ser trocados por um suco de frutas.

Carlota Reviriego

Nutricionista