Os riscos do churrasco para a saúde

Cozinhar muito a carne na churrasqueira pode ser prejudicial para a saúde

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Em dias de sol e tempo firme, o churrasco é a melhor pedida para encontros familiares e entre amigos, mas quão saudáveis são os churrascos? 

A forma de cozinhar os alimentos pode variar suas características. A gente te explica o que acontece quando você cozinha uma carne na churrasqueira.

Por que não se deve cozinhar muito os alimentos numa churrasqueira

os-riscos-do-churrasco-para-a-saúde A

Pesquisas feitas sobre as carnes e peixes cozidos na churrasqueira colocaram em evidência algo bastante preocupante: cozinhar nessas elevadas temperaturas gera a produção de aminas heterocíclicas (AH) e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP). As AH são cancerígenas, por isso carnes muito cozidas são um fator de risco para muitos tipos de câncer, e a recomendação atual aposta em não cozinhar a carne em excesso. Por outro lado, os HAP têm demonstrado serem cancerígenos, mutagênicos e teratogênicos em animais, e se formam em condições similares às AH, por isso que, apesar de não saber se os seus efeitos são similares em humanos, convém de novo não se exceder em cozinhar muito a carne para evitar o seu aparecimento. 

Em concreto, o consumo habitual, várias vezes na semana, desse tipo de carnes, muito cozidas, seja na churrasqueira, fritas ou feitas em um grelha, aumenta em 40% o risco de sofrer câncer de pâncreas e, em menor medida, de outros tipos de câncer como o de pulmão ou de mama.

É preciso levar em conta que são o tempo e a temperatura de cozimento que favorecem o aparecimento dos compostos cancerígenos, por isso, reduzindo-os se pode conseguir cozinhar tanto carnes como peixes ou mariscos na churrasqueira de maneira perfeitamente segura.

5 conselhos para cozinhar de forma mais saudável na churrasqueira 

1. Escolher peças pequenas com pouca gordura facilita a diminuição do tempo e temperatura de cozimento. 

2. No caso de peixes e mariscos, envolvê-los, sempre que possível, em um papel de alumínio apto para o grill, o que evitará a formação de fumaça e o contato direto com a grelha. 

3. Os camarões têm a vantagem acrescentada de que necessitam ser descascados, e os contaminantes não alcançam o interior.

4. No caso dos HAP, geralmente se formam ao se combinar os sucos da carne com o carvão ou outra superfície quente, uma vez que, cozinhando durante um breve espaço de tempo no microondas, inferior a um minuto, salvo que a peça seja muito gordurosa, e descartando os sucos da carne, se consegue minimizar a sua formação. Em todo o caso, o pré-cozimento de carnes e peixes reduz até torná-las indetectáveis, o aparecimento de qualquer dessas substâncias.

5. Além disso, a limpeza da grelha é muito recomendável, já que acumula restos de sucos e comida com maior tendência a se queimar em excesso, e que, portanto, aumentam a produção dessas substâncias indesejáveis.

No entanto, não são somente as carnes e os pescados que podem ser cozidas na grelha ou na churrasqueira. As frutas e verduras vão abrindo caminho e são uma alternativa mais do que saudável, tanto para crianças como para maiores. Além da tradicional espiga de milho, que pode fazer bastante sucesso entre a criançada, a abobrinha, a cebola, o tomate, o pimentão e a batata são perfeitamente aptos para esses eventos, dando um variado toque de cor ao prato. A melancia, o melão, o abacaxi vão ganhando popularidade, e sua combinação é altamente recomendável, sobretudo no formato de espetos. 

Ainda que os estudos realizados sejam claros sobre os efeitos cancerígenos das AH e, pelo menos em animais, dos HAP, levando em conta as pequenas precauções e recomendações enumeradas, os churrascos nos dias de sol são totalmente seguros para toda a família, incluindo os pequenos da casa.

Carlota Reviriego

Nutricionista