O AVC em bebês e crianças

O Acidente Vascular Cerebral é uma realidade na infância

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Apesar de ser mais comum em adultos, o AVC (Acidente Vascular Cerebral) pode acontecer em crianças e até mesmo em bebês. 

Da mesma forma que nos adultos, o AVC na infância pode deixar sequelas graves ou levar a criança a óbito

O que é o derrame cerebral em crianças

o-avc-em-bebês-e-crianças A

O AVC na infância pode ser isquêmico (interrupção do fluxo sanguíneo do cérebro) ou hemorrágico (extravasamento de sangue para fora dos vasos) e é um dos grandes causadores da paralisia infantil

Sintomas do AVC em crianças

- A criança pode apresentar sinais de desmaio, perda e/ou dificuldade de movimentar um dos lados do corpo, perda da fala, convulsão, tontura, dor de cabeça e pode repuxar uma das pernas. Nessa hora os pais devem procurar o hospital com a máxima urgência. 

De acordo com especialistas, enquanto nos adultos a incidência seja de 250 para cada 100 mil habitantes, nas crianças é de 15 para cada 100 mil habitantes. Apesar de menos frequente, a criança pode ficar com sequelas para o resto da sua vida. 

Causas do AVC em crianças

Em 25% dos casos, as causas do AVC infantil ainda são desconhecidas, mas normalmente acontecem devido a:

- Más formações do coração após o nascimento (Cardiopatias congênitas)

- Doença ou inflamação dos vasos do sistema nervoso central

- Traumas em acidentes

- Doenças no sangue

- Anemia (falciforme)

- Otite ou meningite

- Varicela 

Diagnostico e tratamento 

Como a doença em bebês e crianças ainda é muito pouco conhecida, muitos pais não conseguem diagnosticá-la facilmente ou confundir com sintomas de outras doenças e acabam não procurando socorro imediato, o que compromete o tratamento e desenvolvimento da criança. 

Quando diagnosticado na fase aguda e logo após os primeiros sintomas, as chances de recuperação são grandes. A demora na identificação piora a situação da criança e as possíveis sequelas. 

Existem ainda alguns casos (raros) em que o AVC infantil aconteceu ainda dentro da barriga da mãe, mas o diagnóstico só será dado após o nascimento, quando os médicos e os pais notarem que a criança não movimenta um dos lados. Geralmente acontece no terceiro mês de gestação, normalmente em mães que apresentam trombose venosa. 

Os pais da criança que sofreu um AVC ainda na infância e ficou com sequelas devem ter em mente que a criança necessitará de tratamentos que poderão se dispendiosos e cansativos para a família. 

Pablo Medina

Redator de Guiainfantil.com Brasil