40% da população mundial é alérgica. As crianças são as mais afetadas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Com certeza você já passou por alguma situação semelhante. Em alguma ocasião especial (aniversários, encontros de amiguinhos) em que o seu filho vai compartilhar o espaço da sua casa e comidas com os amigos, que foi preciso você perguntar ao papai responsável pela criança se ela tinha algum tipo de alergia, porque realmente é cada vez mais frequente a incidência de intolerância e alergias entre as crianças. Alguns pais, mais precavidos, já informam sobre algum tipo de alergia que o filho sofra. 

40% da população mundial têm algum tipo de alergia. Além das respiratórias, existem as alimentares. As alergias mais comuns são a asma, rinite, sinusite, bronquite, alergia a poeira, fumaça de cigarro, perfumes, dermatites e alergias alimentares

A alergia alimentar nas crianças

40-por-cento-da-população-mundial-é-alérgica A

A alergia alimentar consiste em uma reação do organismo como resposta imunológica ao consumir um alimento concreto ou aditivo incorporado no mesmo. Uma das alergias mais comuns entre as crianças é ao leite (e derivados) e o ovo (em menor proporção, aos frutos secos). O problema principal é que todos eles estão presentes em grande quantidade de diversos produtos elaborados.

Eu posso comprovar isso, porque para o aniversário do meu filho, compareceu um dos seus amigos que era alérgico ao leite a ao ovo, e me custou muito encontrar alimentos de uso cotidiano que não tivesse, entre os seus ingredientes, o leite ou o ovo. Para minha surpresa, muitas marcas de pão de forma, embutidos e sobremesas, continham esses alimentos, ainda que fossem vestígios. Isso me ensinou a valorizar o cuidado que muitos pais devem ter na hora de supervisionar a alimentação do seu filho com alguma alergia alimentar. 

Calcula-se que em 2020 as alergias afetarão 50% da população mundial, mas a importância desse tipo de alergia não vem acompanhada somente pelo elevado número de afetados, mas também e especialmente pela magnitude das reações que ocasiona que podem ir desde uma simples infecção cutânea ao choque anafilático e inclusive à morte, de acordo com médicos e especialistas. 

Uma vez descoberto o alimento que origina a reação alérgica nos nossos filhos, o único tratamento momentâneo é a prevenção, para a qual é necessário o controle na alimentação, excluindo por completo a dieta o alimento responsável. Isso pode parecer simples para a gente, mas conviver com uma criança alérgica à frutose ou lactose se torna muito difícil o controle, porque essa criança não convive apenas dentro de casa, mas na escola, na casa de amiguinhos e parques de lazer. Além disso, muitos alimentos que podem causar uma reação alérgica no nosso filho, nem sempre são bem reconhecidos nos rótulos dos alimentos que compramos nos supermercados. 

Patro Gabaldón

Redatora de GuiaInfantil.com