Meu filho come mal, o que faço?

Vilma Medina

Vilma Medina

A alimentação dos nossos filhos é uma das maiores preocupações para os pais. Quando uma criança deixa de comer ou perde o apetite durante uma temporada pode colocar em perigo sua nutrição e o seu correto crescimento. A maioria das doenças altera, de alguma maneira, o tipo de alimentação e o apetite da criança, mas quando isso deve nos preocupar? Geralmente quando a falta de apetite não se trata de uma circunstância pontual, mas de um costume.

12 dicas para que o que coma o seu filho o alimente mais

meu-filho-come-mal-o-que-faço A

A fome é a resposta normal diante do desgaste do nosso organismo. Cada criança tem suas próprias necessidades fisiológicas e devemos estar conscientes disso, e, portanto, adequar os alimentos às características particulares do nosso filho, ainda que possa ocorrer que, por uma doença física ou psíquica, ou por trás dela, a criança perca alarmantemente o apetite e então poderemos adotar algumas medidas para aliviá-lo. 

Existem alimentos e dicas que podem nos ajudar a cobrir as deficiências nutricionais do nosso filho para que cada mordida implique em um maior aporte nutritivo. 

- Alimentos como os legumes e os frutos secos: ajudam a complementar dietas desequilibradas ou pouco variadas. Trata-se de um excelente acréscimo de vitaminas, proteínas e minerais. São alimentos muito energéticos, ainda que, os frutos secos em particular não devam ser oferecidos às crianças menores de quatro anos pelo risco de engasgos.

- Oferecer um ambiente adequado: companhia à mesa e tranquilidade

- Comer pequenas quantidades de alimentos: várias vezes ao dia, e respeitar os horários estabelecidos. 

- Usar pratos grandes para que pareça que tem menos comida. 

- Oferecer receitas novas: sabores, texturas e cores, com uma apresentação atrativa ou divertida.

- Evitar beber líquidos durante as refeições. Isso evitará que a criança encha o seu estômago de líquido. Podem beber uma hora antes ou após o almoço. 

- Estimular o apetite mediante alguma atividade física: caminhar, nadar... 

- Oferecer alguma limonada ou suco ácido: já que parece que os frutos ácidos abrem o apetite. 

- Cozinhar acrescentando calorias e proteínas sem necessidade de aumentar o volume. 

- Dar sabor aos alimentos com molhos, como o molho branco, a maionese, o molho tártaro. 

- Acrescentar às sopas, purês ou massas: presunto, queijo, creme de leite ou soja, etc. 

- Oferecer sorvetes (especialmente de frutos secos) e outras sobremesas nutritivas adornando-as com mel, creme de leite, chantilly, leite condensado, chocolate, etc. 

Patro Gabaldón

Redatora de GuiaInfantil.com

Problemas na alimentação infantil. A criança não quer comer

Problemas na alimentação infantil. A criança não quer comer

Quando a criança não come. Em muitas ocasiões, os pais, com um grande desejo de que a criança esteja bem nutrida, fazem da hora de comer o momento de mais tensão na casa, com angústia, ansiedades e reprovações às condutas da criança em relação ao alimento. As crianças têm sabedoria natural diante de suas necessidades fisiológicas.

A comida como prêmio e castigo nos contos infantis

A comida como prêmio e castigo nos contos infantis

A comida como prêmio e castigo nos contos infantis. Os alimentos tanto podem dar um toque doce como amargo às histórias infantis. Qual é o papel da comida nos contos para crianças.

Os probióticos na alimentação infantil

Os probióticos na alimentação infantil

Já faz décadas da chegada dos probióticos no mercado, mas desde então até agora, a variedade de cepas probióticas, assim como a diversidade de alimentos que os contém tem crescido muito. De fato, os produtos destinados na infância são cada vez mais variados.

As mil e uma maneiras para que a criança coma

As mil e uma maneiras para que a criança coma

Para que minha pequena sobrinha coma, diz sua mamãe, ela tem que realizar verdadeiros shows todos os dias e em todas as refeições. Muitos papais têm recorrido ao entretenimento durante a alimentação dos filhos e eu reconheço que é uma prática bastante eficaz.

0 comentarios