A crise dos três meses do lactente. Causas e soluções

O que fazer diante do mal denominado crise dos 3 meses do bebê

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A denominada ‘Crise dos três meses do lactente’ responde a um momento evolutivo do bebê diante de mamadas mais curtas, a percepção de que se distraem facilmente quando está no peito, que não mama com tanta frequência ou que enfia a mãozinha na boca, o que se pode atribuir erroneamente à fome. 

Sintomas da Crise dos três meses do bebê

a-crise-dos-3-meses-lactente-causas A

Estes comportamentos podem chegar a causar muito desassossego na mãe que – uma vez instaurado o aleitamento materno em exclusividade – já começava a se relaxar e a confiar mais nela mesma, e, portanto na sua própria natureza. Ao denominar-se como crise e não como etapas ou ritmos de crescimento – que talvez fosse o mais correto – este conceito contribui a este momento uma conotação muito negativa, que pode chegar a ser muito prejudicial para o futuro do aleitamento

Infelizmente, o novo comportamento do bebê pode se relacionar erroneamente a que a mamãe não tenha leite suficiente. Mas, há que recordar que o aleitamento materno se baseia em que a produção de leite está totalmente relacionada com a sucção. 

Por esse motivo, o ideal é que as mães estejam prevenidas de que este momento pode chegar a inquietá-las, por isso é interessante conhecer quais são os sintomas:

1 – O bebê está inquieto, quebra o ritmo das mamadas e dos horários.

2 – Já não pede o peito com tanta frequência, algo que se pode interpretar de diversas formas: não tem fome, não quer comer ou que rejeita o peito. 

3 – Agora o bebê mama em escassos minutos em comparação às longas sessões do princípio. 

4 – O bebê se distrai por qualquer coisa. Inclusive quando está mamando pode repetir gestos ou movimentos que se tornam curiosos. 

5 – A mamãe percebe os peitos moles, o que atribui a uma produção insuficiente de leite. 

6 – O bebê engorda menos, o qual pode reforçar a sensação de que passa fome. 

7 – Diminui a frequência das deposições do bebê. O que se pode interpretar como sinal de uma ingestão insuficiente. 

Estes ajustes são um indício de que um bebê aos três meses segue um padrão de crescimento evolutivo, que responde que por ser maior tenha se convertido em um especialista na arte da sucção porque o fazem mais rapidamente; e que começam a ser mais curiosos porque se distraem mais facilmente. 

O que fazer diante da crise dos 3 meses do lactente

A solução é, uma vez mais, fazer-se de surdos aos ‘especialistas em aleitamento’ materializados em familiares, amigos e vizinhos e procurar profissionais da saúde com formação específica em Aleitamento Materno e/ou aos grupos de apoio ao aleitamento, nos quais outras mães mais experientes poderão aconselhar em primeira mão e com conhecimento de causa. 

Assim que, a solução é relaxar e confiar em si mesma, e, sobretudo continuar oferecendo o peito ao bebê. E dentro de poucos dias as rotinas voltarão a se estabelecer porque cada mãe tem leite suficiente e a capacidade para fabricar tudo o que a criança necessita em cada uma das suas etapas de crescimento

Susana Torres 

Colaboradora de Guiainfantil.com e Assessora em aleitamento