Como prevenir o maltrato infantil

Conselhos e idéias para detectar e prevenir o maltrato a crianças

Vilma Medina

Vilma Medina

Tão importante como detectar o maltrato infantil é a prevenção do abuso e maus tratos na infância. Entre as chaves para favorecer que as crianças tenham ótimas relações com os demais está em inculcar modelos adequados de referência e uma educação desde a primeira infância no meio familiar, social e escolar. 

É fundamental transmitir que a comunicação e o diálogo são o melhor meio para resolver discrepâncias e não à agressividade ou o insulto. Ser amáveis, tolerantes e respeitosos com os outros não deve ser exceção e sim a regra. 

7 Conselhos para a prevenção do maltrato infantil

como-prevenir-maus-tratos-menino A 

1 – É importante começar a criar nas crianças valores éticos e morais, sendo capazes de estabelecer normas adequadas de convivência. 

2 – Temos que estar conscientes na hora de falar e tratar com as crianças, que são pessoas especialmente vulneráveis, frágeis, e, em certas ocasiões, são consideradas como figuras inanimadas que pertencem a um dos progenitores. 

3 – O ser humano tem que aprender e ser capaz de controlar a ira e a agressividade de forma adequada e flexível. O controle das emoções é fundamental. 

4 – Os pais não podem se esquecer da importância de desenvolver nas crianças a capacidade de empatia para ser capaz de se colocar no lugar do outro e compreender que nossa conduta ou atitude pode provocar sofrimento no outro.

5 – Os adultos são modelo a seguir para os pequenos. Um meio onde impera a violência psicológica ou física vai favorecer que nossos filhos aprendam esses modelos de conduta e serão levados a repeti-los. 

6 – Temos que proporcionar às crianças: 

- Bem estar físico, afetivo, emocional, educativo e social. 

- Velar pelos seus direitos e interesses. 

- Capacidade de escuta, facilitar-lhes a oportunidade de se expressar e de se sentirem compreendidas e acolhidas emocionalmente

- Permanecer atentos às suas necessidades e demandas físicas e afetivas. 

7 – Nossa sociedade, em geral, e cada um de nós particularmente devemos proteger e proporcionar aos nossos pequenos um meio seguro, afetivo adequado e estruturado. Assim, estaremos garantindo a eles um desenvolvimento saudável e uma infância feliz

Gemma Del Val Peralta

Psicóloga

Centro de Psicologia Álava Reyes

Depressão infantil

Depressão infantil

A depressão, assim como a ansiedade, está crescendo entre as crianças. Já não são somente os adultos os que se deprimem. A depressão infantil pode surgir devido mudanças importantes na vida das crianças como pode ser resultado da perda dos pais, um divórcio ou problemas familiares, bullying, autoestima baixa, etc.

Comportamento infantil

Comportamento infantil

Como devem atuar os pais segundo o temperamento das crianças. É difícil saber exatamente o que é o comportamento infantil “normal”, ou temperamento “anormal”. Igualmente aos adultos, existe uma grande variedade do que se considera conduta “normal” nos bebês. Os bebês têm necessidades, demandas e comportamentos que podem ser muito diferentes uns dos outros.

A auto-estima e as crianças

A auto-estima e as crianças

A auto-estima é um fator básico na formação pessoal das crianças. A auto-estima, é um tema que desperta a cada dia um grande interesse, não só para os psicólogos, mas também para pais e mães. É uma preocupação presente em muitas casas e conversações. E isso pode-se entender pela relação que está tendo a auto-estima com problemas como a depressão, anorexia, timidez, abuso de drogas e outros.

A baixa auto-estima infantil

A baixa auto-estima infantil

A baixa auto-estima nas crianças. O ambiente familiar é o fator que mais influencia na auto-estima das crianças. Constantemente nossa auto-estima se vê afetada pelas experiências e exigências que recebemos do mundo exterior. A sociedade exige que nos moldemos e que sigamos padrões de comportamentos, escolhas, iguais aos da maioria.

A criança tímida. Timidez infantil

A criança tímida. Timidez infantil

A timidez se caracteriza pela dificuldade nas relações interpessoais e uma tendência acentuada de fuga do contato social com outras pessoas. As crianças sofrem quando não conseguem se relacionar e não conseguem externar para os pais o que está sentindo.

0 comentarios