5 formas de conseguir que as crianças nos dêem atenção

Como administrar a desobediência das crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Uma das queixas mais frequentes dos pais se refere à desobediência dos filhos. ‘Não me faz caso’, ‘eu tenho que repetir mil vezes a mesma coisa’, ‘não há quem possa com ele’, são frases muito habituais em muitos pais e mães. 

A gente vai ajudar com algumas pautas muito simples para que você possa aplicá-las em casa, com seus filhos e conseguir que te dêem atenção e sigam as normas estabelecidas

Como conseguir que as crianças obedeçam

5-formas-de-conseguir-que-as-crianças-obedeçam A

1 – Estabelecer poucas normas, mas claras e concisas: as crianças, às vezes, recebem tantas obrigações através da gente que acabam pulando todas elas. É preferível realizar uma reunião familiar e estabelecer 3 regras principais que deverão ser cumpridas sempre. Vocês podem deixar as regras escritas num papel ou cartolina em algum lugar em que todos possam vê-las. Além disso, os pais devem relembrá-las frequentemente. 

2 – Aplicar a autocrítica: é conveniente a gente parar para pensar sobre o que estamos fazendo mal e por que nossos filhos não nos obedecem. Será que estamos dando ordens demais? Será que estamos sendo exigentes demais? Estão demandando mais atenção do que a gente está sendo capaz de dar? Uma parte da solução do problema pode vir da gente e da mudança de nossas atitudes. 

3 – Utilizar o reforço positivo: são muitos os psicólogos que afirmam que as crianças atendem mais e melhor quando lhes motivamos adequadamente. Se as animarmos a se portar bem, elogiamos quando tenham conseguido algo ou trocamos o ‘você vai ver se não recolher’ pelo ‘quando recolher, a gente pode brincar um pouco’. O resultado é muito mais efetivo. 

4 – Dar opiniões: a gente pode perguntar-lhes se preferem colocar a mesa ou ajudar a preparar a salada, recolher os brinquedos antes ou depois do banho... São pequenas opções que lhe darão autonomia, independência e a capacidade de tomar suas próprias decisões. Isso faz com que a criança se sinta ‘mais velha’ e com mais capacidade de controle. 

5 – Impor consequências: se a criança tenha falhado com alguma norma, os pais devem chamá-la e mostrar que está fazendo o contrário do que foi pedido e avisar que essas ações terão consequências. Não é necessário gritar, simplesmente a gente irá recordá-las, por exemplo, que não poderá assistir ao seu programa preferido se não tiver feito suas tarefas, que não escolherá a sobremesa se não arrumar o quarto ou não brincará com seu irmão se não o tratar com amor e paciência. Sempre cumpriremos com o que tivermos dito e a consequência será de acordo com o seu comportamento. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com