Como ajudar a criança a formar uma personalidade firme

Conselhos para ajudar a criança a construir uma personalidade saudável

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A personalidade se forma ao longo de toda a vida. No entanto, a primeira etapa, nos primeiros anos de nossa vida são cruciais para consolidar uma base sólida da personalidade. Como se consegue isso? Com uma educação baseada em potencializar a autoestima da criança e a confiança nas suas possibilidades. 

A gente te oferece uma série de conselhos muito úteis para que você possa aplicar na educação dos seus filhos. Com isso você conseguirá que ele desenvolva uma personalidade sólida e sadia

Como ajudar a criança a formar uma personalidade sólida

como-ajudar-a-criança-a-formar-personalidade A 

Como já dissemos, as primeiras etapas são cruciais para a formação da personalidade do indivíduo. Uma personalidade sadia e madura consiste numa identidade segura e confiante que respeita os direitos dos demais, assume suas próprias responsabilidades e é capaz de estar satisfeito das suas conquistas pessoais. 

Assim, se desejarmos que nossos filhos cheguem a conseguir uma adequada autoestima e que se convertam em adultos felizes teremos que trabalhar na construção das bases da sua personalidade durante os primeiros anos: 

1. A imagem que a criança tem e terá no futuro dela mesma depende da imagem que a gente projeta nela, a segurança e confiança que transmitimos na consecução e alcance das suas próprias metas. Assim, aconselha-se: 

- Reforce-a nas suas conquistas. 

- Anime-a no caminho que confie nas suas possibilidades.

- Ensine-a para que assuma os erros como parte fundamental da aprendizagem. 

- Ofereça a ela estratégias para que resolva ela mesma suas dificuldades e problemas. 

- Não coloque etiquetas na criança. 

- Critique o comportamento e não a pessoa. 

- Não a compare com seus outros irmãos ou companheiros. 

2. As normas e os limites lhes fortalecem, pois dotamos de estrutura ao contexto, e lhes oferece segurança e a criança conhece como tem que se comportar em determinadas situações. É claro que em todos os ambientes deve existir margem de flexibilidade que permita a criança desenvolver sua criatividade e individualidade, mas os pais têm que capacitar a criança para que desenvolva uma tolerância à frustração adequada e possa assumir normas sociais no futuro. 

3. Os pais são o modelo de referência dos filhos a ser seguido. Assim, na medida em que a gente enfrenta a vida com positividade, assumimos nossas responsabilidades, respeitamos aos outros e resolvemos nossos problemas com firmeza, os nossos filhos nos imitarão

4. Necessitam uma dose forte de carinho e apreço. Todos os seres humanos necessitam se sentir queridos. A qualidade emocional que a criança recebe repercute diretamente na sua autoestima. Oferecer afeto diariamente como parte do processo educativo é fundamental. 

Lucía Boto Pérez 

Psicóloga 

Centro de Psicologia Álava Reyes