Como canalizar a ira nas crianças

Ensine os seus filhos a gerenciar o seu enfado

Cada criança vivencia as emoções de forma diferente, ainda que a ira possa ser uma das emoções mais difíceis de controlar, sobretudo a partir dos 2 ou 3 anos. No entanto, esse período pode se alongar até a adolescência se os pais não ensinarem aos filhos como gerenciar sua chateação de forma adequada. 

A ira não é uma emoção nem positiva nem negativa. Ela tem a função de nos defender diante de alguma injustiça. O problema não é a ira em si, mas nas consequências que pode trazer em não administrá-la adequadamente. Por isso, é importante que desde o princípio, você leve em conta os conselhos que lhe propomos a seguir. 

Ensinar a criança a gerenciar seu enfado

como-canalizar-a-ira-nas-crianças A 

- Seja o modelo: É lógico que, às vezes, você tenha um dia ruim e não tenha tanta paciência, mas se você quiser que o seu filho canalize a ira de forma adequada, terá que começar com você. Além disso, é importante que mantenha a calma porque as emoções contagiam e se ele te vê alterada, seguramente o enfado do seu filho aumentará em duração e intensidade. 

- Reconhecer e expressar emoções: Na maioria das vezes, até que não coloquemos nome ao que nos passa fica difícil canalizá-lo. Se o seu filho for pequeno, o melhor é que identifique a emoção e lhe pergunte o que acontece para dar-lhe a oportunidade de contá-lo. Outras vezes, é tamanho o grau da ira que ele não nos deixará ajudá-lo. Se você também não gosta que te deixem nervosa quando está chateada, permita que o seu filho tenha um espaço. Isso não significa que não vá conversar a respeito. Nesses casos, o melhor é aproveitar algum outro momento tranquilo durante esse dia para voltar a falar sobre o ocorrido. Dessa forma, se sentirá escutado e juntos poderão descobrir os motivos da sua chateação e poder preveni-lo na seguinte ocasião. 

- Proporcione a ele ferramentas para expressar sua ira: É importante você se perguntar como se faz para transmiti-lo a ele. O primeiro impulso quando estamos chateados é ser agressivo, bater, gritar, chutar... Portanto, faça com que ele canalize de uma forma que não faça danos a ele nem aos outros. Para isso, deve orientá-lo fazendo atividades incompatíveis com estar chateado, se possível fazendo atividades artísticas ou manuais para conseguir não alimentar mais a ira com seus pensamentos negativos como desenhar, escrever, fazer trabalhos manuais... Cada criança deve explorar qual é a sua. 

- Ensine-o a queimar a energia extra para administrar o enfado: Existem várias opções, mas está demonstrado que o esporte ajuda a descarregar tensões e, além disso, permite que desconecte desse momento tenso que estiver vivenciando. Além disso, o mero fato de se afastar por um momento da chateação vai conseguir que reduza muito sua intensidade e consigam ver de outro ponto de vista. Conseguir esse tempo extra para que se distancie é muito importante. Por exemplo, sair correndo, andar de bicicleta, fazer alongamentos... Em outras ocasiões, a ioga e o relaxamento têm os mesmos benefícios nesses momentos específicos, já que conseguem que aumentem o seu controle sobre o corpo e o gerencie de forma tranquila mediante a respiração. 

Nuria G. Alonso de la Torre

Psicóloga infanto-juvenil

  • Sintomas da raiva em crianças
    Sintomas da raiva em crianças

    O índice de mortalidade da raiva é de aproximadamente 100%. Essa doença é transmitida pela inoculação da saliva e secreções do animal contaminado através da mordida e lambedura. Conheça os sintomas da raiva em animais e em humanos.

    • Causas da conduta agressiva da criança
      Causas da conduta agressiva da criança

      Na infância são normais os ataques de agressividade. As condutas agressivas são comportamentos intencionados que podem causar danos, seja físico ou psíquico. Comportamentos como bater nos outros, ofendê-los, pirraçar, ter acessos de raiva ou usar palavras inadequadas para chamar aos demais fazem parte da agressividade infantil.

    • Como controlar as birras das crianças
      Como controlar as birras das crianças

      Se as crianças chegassem com um manual de instruções, seguramente o capítulo das birras, que normalmente aparecem entre os 2 e 3 anos de idade, seria o mais consultado. O manual do Save the Children recomenda alguns conselhos para mediar aspectos críticos como os chutes, raivas, birras e ataques que algumas crianças apresentam nessas idades.

0 comentários