Como canalizar a ira nas crianças

Ensine os seus filhos a gerenciar o seu enfado

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Cada criança vivencia as emoções de forma diferente, ainda que a ira possa ser uma das emoções mais difíceis de controlar, sobretudo a partir dos 2 ou 3 anos. No entanto, esse período pode se alongar até a adolescência se os pais não ensinarem aos filhos como gerenciar sua chateação de forma adequada. 

A ira não é uma emoção nem positiva nem negativa. Ela tem a função de nos defender diante de alguma injustiça. O problema não é a ira em si, mas nas consequências que pode trazer em não administrá-la adequadamente. Por isso, é importante que desde o princípio, você leve em conta os conselhos que lhe propomos a seguir. 

Ensinar a criança a gerenciar seu enfado

como-canalizar-a-ira-nas-crianças A 

- Seja o modelo: É lógico que, às vezes, você tenha um dia ruim e não tenha tanta paciência, mas se você quiser que o seu filho canalize a ira de forma adequada, terá que começar com você. Além disso, é importante que mantenha a calma porque as emoções contagiam e se ele te vê alterada, seguramente o enfado do seu filho aumentará em duração e intensidade. 

- Reconhecer e expressar emoções: Na maioria das vezes, até que não coloquemos nome ao que nos passa fica difícil canalizá-lo. Se o seu filho for pequeno, o melhor é que identifique a emoção e lhe pergunte o que acontece para dar-lhe a oportunidade de contá-lo. Outras vezes, é tamanho o grau da ira que ele não nos deixará ajudá-lo. Se você também não gosta que te deixem nervosa quando está chateada, permita que o seu filho tenha um espaço. Isso não significa que não vá conversar a respeito. Nesses casos, o melhor é aproveitar algum outro momento tranquilo durante esse dia para voltar a falar sobre o ocorrido. Dessa forma, se sentirá escutado e juntos poderão descobrir os motivos da sua chateação e poder preveni-lo na seguinte ocasião. 

- Proporcione a ele ferramentas para expressar sua ira: É importante você se perguntar como se faz para transmiti-lo a ele. O primeiro impulso quando estamos chateados é ser agressivo, bater, gritar, chutar... Portanto, faça com que ele canalize de uma forma que não faça danos a ele nem aos outros. Para isso, deve orientá-lo fazendo atividades incompatíveis com estar chateado, se possível fazendo atividades artísticas ou manuais para conseguir não alimentar mais a ira com seus pensamentos negativos como desenhar, escrever, fazer trabalhos manuais... Cada criança deve explorar qual é a sua. 

- Ensine-o a queimar a energia extra para administrar o enfado: Existem várias opções, mas está demonstrado que o esporte ajuda a descarregar tensões e, além disso, permite que desconecte desse momento tenso que estiver vivenciando. Além disso, o mero fato de se afastar por um momento da chateação vai conseguir que reduza muito sua intensidade e consigam ver de outro ponto de vista. Conseguir esse tempo extra para que se distancie é muito importante. Por exemplo, sair correndo, andar de bicicleta, fazer alongamentos... Em outras ocasiões, a ioga e o relaxamento têm os mesmos benefícios nesses momentos específicos, já que conseguem que aumentem o seu controle sobre o corpo e o gerencie de forma tranquila mediante a respiração. 

Nuria G. Alonso de la Torre

Psicóloga infanto-juvenil