Como é a criança com sentimento de inferioridade

O que provoca com que uma criança se sinta inferior às outras

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Uma criança não nasce com complexo de inferioridade. As crianças nascem sem informação sobre o mundo e pouco a pouco vão aprendendo como funciona. Podem pensar que são inferiores aos outros como consequência de uma criação pouco adequada ou pelas duras condições externas às que são submetidas. 

O que causa com que uma criança tenha sentimento de inferioridade

como-é-a-criança-com-sentimento-inferioridade A

Um pequeno com uma boa criação e com pais que se preocupam pelo seu bem estar emocional e o seu desenvolvimento interior não desenvolverá nenhum sentimento de inferioridade. Também pode desenvolver este sentimento na escola porque tenha sido tratado injustamente pelos seus professores e companheiros de classe. 

Quando uma criança, por exemplo, derrama um pouco de suco no chão e sua mãe ou o seu pai faz um comentário do tipo: ‘Você é estúpido?’, ou talvez: ‘Você é um bobo que nem sabe sustentar um copo’, são comentários que cravam no subconsciente da criança e começa a acreditar que realmente exista algo ruim nela, o que não é verdade. 

Também pode ser que se a criança se esforça em fazer os deveres, mas não pôde terminá-los e depois chega à aula e recebe um comentário do professor do tipo: ‘Você é um preguiçoso e não serve para nada’, então a criança poderia pensar que realmente é preguiçosa e que não sirva para nada. Mas, como são as crianças que se sentem inferiores às outras? É muito importante saber como se comporta para reconhecer o que acontece com ela. 

8 características de uma criança que se sente inferior às outras 

1. Evita estar com os amigos.

2. Prefere ficar em casa a sair e brincar. 

3. Evita participar em qualquer atividade que signifique se exibir ou mostrar suas habilidades

4. Evita participar de festas ou funções porque prefere se afastar socialmente.

5. Sempre fala da má sorte que tem. 

6. Culpa a má sorte e só aceita seus fracassos. Quando têm êxitos ela confere à casualidade e não às suas próprias habilidades. 

7. Quando comete erros se assegura que já sabia que ia acontecer aquilo desde o início.

8. Pensa que é menos do que qualquer outra pessoa e que as coisas boas que lhe acontecem não as merece.

Às vezes, as crianças podem desenvolver suas habilidades, mas em outras formam no seu interior crenças limitantes sobre si mesmas e acreditam realmente que são inferiores às outras. Se a criança não consegue superar esse sentimento de inferioridade mediante suas habilidades ela poderia desenvolver um complexo de inferioridade de forma permanente e pensar que é menos digna que as outras. 

María José Roldán

Mestre e Psicopedagoga