É recomendável deixar o bebê chorar?

Os riscos de deixar o bebê chorar e não acalmá-lo

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Devo deixar o bebê chorar? A resposta é clara: NÃO. Existem distintas teorias sobre este tema, algumas delas vêm de profissionais de prestígio, outras de familiares próximos, e quando os pais chegam a casa, não sabem muito que fazer. 

O choro do bebê é o seu meio de comunicação com os adultos. Se pensarmos bem, o bebê não sabe fazer outra coisa senão chorar quando necessita de algo. 

Deixar o bebê chorar é bom ou ruim?

é-recomendável-deixar-bebê-chorar A 

Muitas vezes o bebê necessita somente de contato físico. Todos nós temos experiências de bebês que são muito tranquilos e podem ficar no seu carrinho o dia todo, e de outros bebês que necessitam de um contato físico muito estreito e muito constante. É verdade que estes bebês têm ‘alta exigência’. Exigem muita dedicação e atenção por parte dos pais e babás. Mas, devemos saber que desde que nascem as crianças têm seu caráter próprio, e nós temos que nos adaptar a elas no início, para logo ir moldando pouco a pouco os traços que podemos mudar. 

Deixar o bebê chorar pode fazer que a criança seja menos inteligente, menos saudável, mais ansioso e pouco colaborador, portanto, pode prejudicar as crianças e sua capacidade de se relacionar com os demais, inclusive em longo prazo. O recomendável é dar ao bebê o que ele necessita, e isso os torna mais independentes posteriormente. 

Do que o bebê necessita? Ao nascer, o bebê reclama uma situação parecida com a que tinha dentro do útero materno, ou seja, ser segurado nos braços, com aleitamento materno a demanda, temperatura estável e confortável... Satisfazer essas necessidades favorece um desenvolvimento adequado. Quando o bebê se assusta e os seus pais o abraçam e confortam, o bebê se sente seguro e confirma que pode ser acalmado por outro, e entende que o outro pode satisfazer suas necessidades. Se não for assim, o bebê pode desenvolver uma falta de confiança nas relações interpessoais, consigo mesmo e com os outros. 

Se o bebê se acostuma a chorar para conseguir o que necessita (comer, que troquem suas fraldas, que o carreguem, que o acariciem e o beijem) estará aprendendo que deve gritar para que atendam as suas necessidades, e pode ser que se torne mais queixoso, infeliz, agressivo e com muitas demandas e que conserve na sua vida toda uma sensação de insegurança.

Os estudos demonstram que as pessoas que cuidam dos bebês respondem às necessidades do bebê rapidamente, evitando que entre numa angústia importante, estarão ajudando que o seu bebê seja mais independente, e não o contrário (Stein and Newcomb 1994).

O bebê não será malcriado e chorão por carregá-lo e abraçá-lo, muito pelo contrário. Em alguns momentos está claro que não poderemos acalmar o seu choro imediatamente, inclusive por circunstâncias externas (por exemplo, não podemos tirá-lo da sua cadeirinha do carro no meio da estrada ou rua), mas devemos estar ciente do que é melhor para o bebê. 

Malena Hawkins

Pediatra