Um bebê pode ser superdotado?

Como detectar se um bebê tem capacidades altas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É verdade que a partir dos 6 anos é quando realmente se pode começar a falar de um diagnóstico real de uma criança superdotada. É quando tudo se estabiliza, já que o quociente intelectual que se tem nessa idade é o que terá aos 30 anos, aos 40 anos, etc. 

Mas, uma detecção precoce, inclusive nos primeiros anos de vida, pode nos dar pistas que possam ser superdotados, e assim poder ajudá-los antes que cheguem à idade escolar. 

A importância de detectar se um bebê é superdotado 

um-bebê-pode-ser-superdotado A

Existem estudos que consideram que 70% de crianças superdotadas ou com altas capacidades são herdadas e 30% dependem dos fatores ambientais. Portanto, é muito importante detectar que a criança seja superdotada numa idade mais precoce possível, ou, pelo menos que possamos reconhecer. 

Este desconhecimento pode ser que traga consequências, às vezes graves para a criança. Não se deve ignorar que a criança seja superdotada e não se deve pretender que seja como as demais quando é uma criança que tenha nascido com altas capacidades. O que os pais deveriam fazer é ajudar-lhe e oferecer-lhe um meio e educação apropriados. 

O que indica que um bebê seja superdotado

Dos bebês superdotados chama a atenção o seu desenvolvimento precoce. Mediante a observação, no primeiro ano de vida os pais podem descobrir aspectos como: 

- Um olhar intenso pouco depois de nascer. 

- Ser muito agitado e ter muita energia. 

- Dormir poucas horas.  

- O ‘sorriso social’ aparece de maneira precoce. 

- Mostra-se muito impaciente diante da falta de estímulos.

- Quanto à motricidade grossa: engatinha antes dos 6 meses e caminha antes dos 11. Outras crianças pulam a fase de engatinhar e começam a andar aos 8 ou 9 meses. 

- Quanto à motricidade fina: está muito desenvolvida podendo passar páginas de um livro aos 9 meses utilizando o seu dedo indicador e polegar. São capazes de montar quebra-cabeças de maior número de peças do que outras crianças com desenvolvimento normal. 

- Quanto à linguagem: a criança diz palavras aos 8 meses e com um ano já conhece mais palavras que a criança com um desenvolvimento normal. 

- Também começa a diferenciar: Chama as coisas pelo seu nome e não utiliza apenas uma palavra para se referir a objetos da mesma categoria. Ou seja, não chama a todas as plantas de flor, por exemplo, mas distingue entre rosa, margarida, etc. 

- Aos 2 anos já fala em frases, com verbos com seu tempo correto. Algumas crianças demoram em falar, mas uma vez que se soltem, o fazem muito bem. As crianças superdotadas podem pular a fase dos balbucios. 

- Relaciona de maneira precoce dos fatos entre si. Algo que pode acontecer aos dois anos e meio. 

- Conhece o conceito de permanência (se esconde um objeto que deve estar em algum lugar e não deixa de existir quando não estiver vendo) entre os 2 e 3 meses. Algo que se dá aos 18 num desenvolvimento normal. 

- É inconformista e desobediente

- Pode manifestar ansiedade e medos. 

Que o seu bebê mostre esse tipo de características não revela que seja superdotado. Mas, quantos mais traços coincidam com o seu comportamento, maior será a probabilidade de que se trate de uma criança com altas capacidades. Portanto, os pais devem seguir atentos ao desenvolvimento do seu filho e brindar-lhes todas as oportunidades possíveis para que aproveite o seu potencial e fazer-lhe feliz. 

Borja Quicios

Psicólogo educativo