Os acidentes infantis mais frequentes nas férias

Conselhos para evitar os acidentes com crianças nas férias

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As férias são um dos períodos do ano que as crianças mais desfrutam, sobretudo pela quantidade de tempo livre que podem desfrutar, já que os colégios e as escolas estão fechados. Mas, durante essa época, com a presença maior dos pequenos em casa e a mudança da rotina habitual, também aumenta o risco para eles de sofrerem mais acidentes, principalmente domésticos. Como podemos preveni-los? 

Os acidentes mais comuns nas férias

Os acidentes mais comuns das crianças nas férias

Os acidentes infantis mais habituais nas férias podem acontecer na própria casa, ainda que em piscinas, praias e durante atividades de lazer próprias dessa época.

Em respeito aos acidentes domésticos, os mais frequentes durante o período das férias são as queimaduras, as fraturas de ossos, os traumatismos cranianos e as intoxicações com produtos de limpeza e medicamentos. Também os cortes, os afogamentos, asfixias e as contusões entram na lista dos incidentes mais comuns. 

Prevenir acidentes é melhor do que remediar

Segundo o Instituto Mexicano de Seguro Social (IMSS), durante as férias, os acidentes infantis aumentam em 25%. Por isso, organismos como esse vêm advertindo aos pais sobre a importância de vigiar os pequenos com mais cuidado, já que 9 de cada 10 acidentes podem ser evitados. 

Os especialistas recomendam ter especial cuidado com os utensílios de cozinha que são perigosos, como por exemplo, facas, isqueiros, fogões ou tesoura. Essas ferramentas devem ficar fora do alcance das crianças, da mesma forma que os medicamentos e os produtos de limpeza. 

Deve-se prestar especial atenção às janelas abertas nos meses de calor, aos ventiladores, além das tomadas e outros aparelhos elétricos que possam supor um risco para os pequenos. 

Além disso, é importante ter cuidado quando a família frequenta piscinas e praias com as queimaduras do sol e com os acidentes que possam acontecer na água, desde cortes com pedras, quedas nas bordas das piscinas ou picadas de animais venenosos como águas-vivas ou ouriços. 

Os pais devem recordar que, assim como é importante tentar evitar os acidentes quando estão perto das crianças, eles devem ensinar aos filhos sobre esses cuidados, para que eles mesmos se protejam. 

Fontes: Instituto Mexicano de Seguro Social

Patricia García
Colaboradora de GuiaInfantil.com