Em que atividade extraescolar eu matriculo meu filho

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Em muitas famílias os pais enchem as crianças de atividades extraescolares que elas já não têm mais tempo para nada. Além da escola, os pais já matricularam seus filhos no basquete, inglês, ballet, instrumento musical e em todos os tipos de atividades. 

Muitas vezes acredito que nós, pais, exageramos. A criança chega em casa, e entre o banho, almoço e deveres não consegue nem respirar. É uma correria, dia após dia, e acabamos nos esquecendo de que as atividades extraescolares devem ser orientadas às necessidades e aos interesses e desejos extras das crianças, e não simplesmente como um complemento da jornada escolar.

Mais jogos e brincadeiras e menos atividades extraescolares 

Antes de matricular a criança numa atividade, o melhor é perguntar a si mesmo e à criança o motivo de cada opção. De modo geral, cada atividade tem um propósito: 

- Música: através dos ritmos e da música, as crianças estarão melhorando suas habilidades matemáticas, sua sensibilidade e audição

- Teatro, artesanato, artes cênicas e plásticas: as crianças melhorarão as capacidades que pouco se trabalham nas escolas, aperfeiçoarão sua criatividade e ajudará as crianças a superarem a timidez e a insegurança. 

- Esportes e Atividades físicas: são as preferidas porque promovem a saúde física e mental, melhora o estado de ânimo, o sono, a alimentação, a concentração, as habilidades motoras e cognitivas complexas das crianças. A criança que pratica algum esporte está adquirindo um ânimo saudável com efeitos a longo prazo. É aconselhável que a criança pratique um esporte, se possível, em equipe. Isso favorecerá sua relação com outras crianças e a sua sociabilidade.  

- Atividades intelectuais: Implicam em melhorar o trabalho escolar. Essas atividades devem ser planejadas só nos casos em que a criança necessite de um impulso maior em alguma matéria. Caso contrário, não é aconselhável. A gente se refere às aulas de idiomas, técnicas de estudo, etc. 

A melhor atividade extraescolar é aquela que não contribua num estresse prejudicial e que tenha caráter lúdico para os pequenos. O melhor é que incentive a fantasia, o interesse e a vontade de aprender, que propicie alegria, vontade e estimule as capacidades das crianças. Sobretudo, é aquela que a criança escolha, e que possa aprender se divertindo, ao mesmo tempo em que sirva de relaxamento e de distração dos seus afazeres diários. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com