Como saber se o meu filho é uma criança índigo

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

'Os bebês de hoje em dia já nascem sabendo’. É uma frase que escutamos frequentemente, pois é impressionante ver como existem crianças que, mesmo sem ensiná-las sabem manusear um tablet ou o computador, fazem perguntas filosóficas que nos desmontam ou têm talentos realmente especiais. 

Os estudos indicam que existem bebês e crianças que são capazes de alcançar seus aprendizados em idades cada vez mais precoces, seja levantar a cabeça ou agarrar objetos com a mão. São bebês que têm capacidades especiais. São diferentes dos bebês de outras gerações, são as crianças do futuro, são bebês índigo. 

Como é a nova geração de bebês e crianças índigo

como-saber-se-o-seu-filho-é-índigo A

Eu não sei em relação a você, mas eu, apesar de reconhecer suas falhas e defeitos creio que meus filhos são os mais espertos, bons, bonitos e graciosos. É verdade que os pais podem ‘estragar’ as qualidades e conquistas das crianças, talvez às vezes pelo excesso e por enxergarmos talentos onde não existam. Em todo o caso, além de todas as habilidades que vemos nos nossos filhos, será que são crianças índigo? 

A primeira pessoa que falou dos bebês índigo foi Nancy Ann Tape no seu livro ‘Understanding Life Trough Color’ (‘Entendendo a Vida Através das cores’), em 1982. Ela explicava que os seres humanos têm ‘auras coloridas’, ou seja, uma aura com determinadas cores. Esta aura é um campo magnético que rodeia cada pessoa. No entanto, descobriu que havia uma série de crianças que tinham uma cor na aura não catalogada até o momento em outras pessoas. Era de cor anil ou índigo, que é o nome que se dá a essas crianças. 

Além de ter uma aura diferente, também tinham uma série de características distintas aos demais: 

- Crianças com grande capacidade criativa e têm talentos especiais

- Excessiva energia no seu dia a dia e são muito inquietas

- Atitudes especiais para manejar as novas tecnologias

- Falam de temas espirituais: Deus, o universo, a alma ou o cosmos. 

- Rejeitam o autoritarismo e a disciplina e preferem solucionar temas com a argumentação e o diálogo. 

- Emocionalmente maduras.

- Crianças sensíveis e com grande capacidade de empatia. 

- Crianças muito sensíveis ao tato, seu sentido mais desenvolvido. De fato, sua pele pode reagir com alergias aos materiais sintéticos. 

- Em ocasiões mostram sintomas de déficit de atenção

Alguns autores também acrescentam que estas crianças têm um DNA diferente e são imunes a doenças como o câncer ou a AIDS. Também explicam que têm traços físicos similares: magras, canhotas ou ambidestras e olhos grandes. 

Toda essa catalogação não tem base científica firme, mas os especialistas nos indicam que já que seu filho é índigo ou simplesmente você reconheça essas capacidades nele, você deve criá-lo com amor e respeito da mesma forma que qualquer outra criança, mas, além disso, dando especial interesse em dar as explicações oportunas caso tenham feito algo ruim, porque não aceitam o castigo nem a autoridade excessiva. Além disso, é importante alimentar suas capacidades e talentos e estimular o seu cérebro. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com