Vínculo mãe e filho e o aleitamento

Como promover o vínculo através do aleitamento

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O vínculo mãe-bebê são os laços emocionais que estabelecem entre a mãe e o seu filho; é um instinto biológico, não se provoca, mas ocorre nos primeiros momentos após o nascimento e que garante a sobrevivência do recém-nascido e promove a replicação e a proteção da espécie.  

A afeição é algo inconsciente que faz com que a mãe responda às necessidades do bebê e garanta que este possa estabelecer conexões neurológicas fundamentais, o contato estreito entre ambos estimula áreas do cérebro do bebê, determinantes para o seu futuro. 

O apego forte, um vínculo seguro com a mãe tem demonstrado ser crucial para que no futuro a crianças e posterior adulto possa estabelecer relações saudáveis, seguras com outras pessoas. Que seja socialmente normalizado. 

Que papel tem o aleitamento no vínculo?

vínculo-mãe-e-filho-e-o-aleitamento A

As bases de uma relação de afeição segura do bebê com sua mãe são: 

- O estabelecimento do vínculo afetivo mãe-filho: desde a gravidez já se relaciona com o seu filho. 

- A preocupação maternal primária: ou seja, as respostas inatas da mãe em responder às necessidades do seu filho de maneira imediata acreditam ser um mecanismo hormonal. 

- O aleitamento materno a demanda. 

Quando uma mãe dá o peito ao seu filho se estabelece uma atmosfera mágica, em que não apenas oferece alimento, mas estão incluídas uma série de mecanismos necessários para que continuem mantendo o apego, e os laços mãe-filho são reforçados. É um contato tão íntimo, tão especial que a nível neurológico se produzem estimulações no cérebro do bebê e a mãe. 

Existem dois hormônios necessários no aleitamento materno que também têm um papel protagonista no estabelecimento do vínculo: 

- Prolactina: necessário para a produção do leite, mas que a nível emocional faz com que a mãe esteja atenta às necessidades do seu filho. 

- Ocitocina: responsável pela ‘descida do leite’; é o hormônio da paixão, já que faz com que ambos se enamorem um do outro. Os olhares entre ambos estão cheios de significado, o cheiro que desprendem seja reconhecido por ambos.  

Graças ao aleitamento materno se estabelece um diálogo sem palavras entre ambos, uma comunicação íntima. O contato pele a pele, as carícias, o sabor da mãe. O bebê se sente protegido nos braços da mamãe e a mãe se sente capaz de proteger o seu bebê. 

Assim que podemos concluir que o aleitamento materno implica num fator de proteção para ter crianças adultas emocionalmente saudáveis; o contato que se estabelece entre mãe e filho durante a amamentação faz com que o peito da mãe seja o ambiente ideal para estabelecer as bases da afeição. 

Sara Cañamero de León

Matrona