Gravidez e a doença celíaca

Intolerância ao glúten durante a gravidez

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A doença celíaca é aquela em que o intestino delgado não é capaz de absorver e assimilar o glúten, uma proteína que se encontra em muitos cereais como o trigo, a aveia, a cevada, etc. A doença pode aparecer na infância, ainda que nos últimos tempos estejam tendo muitos casos de diagnóstico tardio, já na idade adulta. 

Mas, o que acontece quando a mulher grávida é celíaca? Que tipo de alimentação deve ter? Quais os riscos que implica? A gente te esclarece. 

Como a doença celíaca não diagnosticada afeta a gravidez

gravidez-e-a-doença-celíaca A 

O diagnóstico da doença celíaca é simples. Mediante algumas suspeitas da doença por apresentar certos sintomas: dor de estômago, diarréia, perda de peso, anemia, etc., será realizado um exame em que aparecem anticorpos e uma biopsia de vilosidades intestinais que dão lugar ao diagnóstico. 

Essa doença causa alterações na fertilidade tanto de homens como de mulheres, dificuldade para engravidar, e os abortos espontâneos são muitas vezes consequências de uma doença celíaca não diagnosticada. 

Algumas mulheres descobrem justamente durante a gestação que são celíacas, devido à perda de peso, diarréia entre outros, que se dá durante os 9 meses de gravidez. A doença celíaca pode afetar as gestantes da seguinte forma: 

- Na gravidez, devido à má absorção intestinal quando o tecido trofoblástico, precursor da placenta, órgão indispensável para o correto desenvolvimento do embrião. É por isso que o risco de aborto nessas mulheres chega a ser mais que o dobro da população não doente ou com tratamento. 

- Além disso, tem-se visto que pode estar relacionada com o CIR (Crescimento Intrauterino Retardado), partos antes do tempo, etc. 

Qual é o tratamento para as gestantes celíacas 

- Se a mulher apresenta doença celíaca e é diagnosticada e recebe tratamento prévio à gravidez, sua gestação não se diferenciará em nada de qualquer outra mulher. 

- O tratamento se baseia na dieta livre de glúten, apostando por alimentos frescos, frutas da temporada, verduras, peixes, carne magra, cereais sem glúten, etc. Felizmente, a oferta para esse tipo de pessoa é cada vez mais ampla, até permitindo sobremesas elaboradas. 

- Em relação ao bebê tão pouco existem diferenças. A dieta de uma mulher celíaca é completa e variada, com a presença de todos os nutrientes e elementos essenciais para torná-la saudável para ambos: mãe e bebê. 

Assim, a chave, como para qualquer outra mulher é uma dieta saudável, variada e livre de glúten e exercício moderado. E é fundamental o diagnóstico precoce para não sofrer complicações durante a gravidez. 

Sara Cañamero de León

Matrona