Os efeitos dos doces e balas no peso das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A falta de tempo, o uso exagerado das novas tecnologias e a grande oferta de produtos manufaturados está mudando a dieta alimentar das crianças. Existe menos qualidade e mais rapidez na hora de comer. Segundo um especialista em dieta atlântica, o consumo de doces ou de bebidas açucaradas pode fazer com que as crianças aumentem uns quatro quilos de peso por ano

É necessário recordar que o sobrepeso pode favorecer o aparecimento de doenças cardiovasculares e outras (diabetes, hipertensão), como também prejudicar as articulações e outros órgãos devido ao acúmulo de gordura.

Como frear a obesidade infantil

os-efeitos-dos-doces-balas-peso-crianças A 

A obesidade infantil parece não ter freios. O consumo de guloseimas em muitas crianças já é um vício que tem o seu preço. Uma coisa é que a criança coma algum doce ou guloseimas numa festa de aniversário ou em outra ocasião especial. Outra coisa é que a consumam todos os dias. E não se trata apenas dos doces e balas. Rafael Tojo, especialista em dieta atlântica adverte que o consumo diário de sucos ou de qualquer outra bebida açucarada também aumenta o peso das crianças. Segundo ele está faltando um ritmo equilibrado e estável na hora de preparar as refeições. 

A boa alimentação consiste em um café da manhã completo e adequado, e numa dieta à base de produtos frescos de temporada de origem vegetal, como é o caso das frutas e das verduras. Além dos vegetais é recomendável que se consuma mais peixe (sobretudo o azul), produtos lácteos, cereais e se beba mais água. Devem-se limitar os alimentos ricos em gordura, sobretudo as saturadas que estão no açúcar e no sal. 

Rafael Tojo, chefe do serviço de Pediatria do Complexo Universitário de Santiago, chama a atenção para a importância da prática de uma atividade física e limitar o acesso das crianças à televisão e ao computador e smartphones. E, se possível, seguir a dieta Mediterrânea. De fato, recentemente, os resultados de um estudo revelaram que na Espanha, um em cada 4 crianças apresentam sobrepeso, entre 3 e 5 anos de idade.

No Brasil, segundo últimas pesquisas 7,3% das crianças menores de cinco anos já estão com excesso de peso. Quando falamos da faixa etária entre 5 e 9 anos, 33,5% das crianças estão com sobrepeso, e quando chegam à adolescência o percentual é de 20,5%. 

Os pais devem ter consciência que o tipo de alimento que seu filho come desde a primeira infância irá repercutir na vida adulta. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com