Os gastos e como economizar para a chegada do bebê

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O seu bebê está a ponto de nascer e você se pergunta: ‘Será que tenho tudo o que ele necessita? Para satisfazer suas necessidades básicas, a primeira coisa que deve saber é o que verdadeiramente o seu pequeno irá necessitar e fazer um orçamento. Claro que os gastos e como economizar para a chegada do bebê dependerá muito do poder aquisitivo da família, assim como das suas exigências e prioridades.

O que você necessita para a chegada do seu bebê

os-gastos-e-como-economizar-chegada-bebê A 

Para que você esteja tranquila na hora do parto e logo com o seu pequeno nos braços é aconselhável que você planeje as compras para o bebê meses antes do seu nascimento. Assim, você poderá identificar em que e como economizar. Durante os primeiros meses o seu bebê necessitará de um lugar para dormir, roupa para vestir, alimentação, atendimento médico, brinquedos e cuidados com a higiene. Para te ajudar nisso, a gente preparou uma lista de coisas básicas que não pode faltar na sua lista. Para mim foi muito útil planejar as compras para a chegada da minha filha. 

1 – O berço e os móveis para o quarto do bebê. Nos seus primeiros meses de vida, o bebê dorme muito. O principal para o seu descanso é que você compre ou herde um berço que ofereça segurança e comodidade ao pequeno. Já o trocador, a cômoda, o armário, a poltrona, etc. podem ser deixados para mais adiante

2 – O carrinho e a cadeirinha de segurança para o carro. São produtos que você necessitará para levar o seu bebê para passear de carro para as revisões pediátricas, para as viagens, etc. São produtos que você tanto pode comprar como herdar e exigem muita segurança. Esses produtos devem estar homologados. Também é possível comprar de segunda mão. 

3 – Alimentação do bebê. Se você optar em dar o peito ao seu bebê, com certeza já sabe que o leite materno aporta toda a nutrição necessária para os primeiros seis meses de vida do bebê. O aleitamento materno é a alternativa mais completa e econômica para alimentar o seu bebê. No caso em que, por alguma razão, você não puder amamentar o seu bebê, você terá que optar pelo leite de fórmula. É um dos gastos mais importantes. 

4 – Roupas e sapatinhos para o bebê. Considerando que o bebê, nos primeiros meses e anos da sua vida ganha peso e altura rapidamente é aconselhável não comprar muita roupa. Normalmente o bebê pode herdar peças de roupa dos irmãos, primos, amiguinhos (a gente agradece). O melhor é evitar gastos desnecessários e excessivos com a roupa para o bebê. 

5 – Fraldas para o bebê. Trata-se de um gasto imprescindível que você terá pelo menos nos dois primeiros anos de vida do bebê. É um gasto caro e prolongado, do que não poderá dispensar. A melhor forma de economizar em fraldas é comprá-las em grandes quantidades em lojas de atacado ou em páginas da internet. Um chá de fraldas é uma boa forma de economizar nos primeiros meses. 

6 – Higiene do bebê. A compra de cremes, loções, óleos, sabões, principalmente aqueles específicos para bebês é inevitável. Cada vez que você der banho no bebê será necessário aplicar cremes para evitar irritação e inflamação. Também é importante hidratar a pele do bebê. Para isso você deve comprar uma banheira para o seu bebê. 

7 – Atendimento médico. Dentro do programa de atenção ao bebê existe um completo calendário de vacinação, além das revisões pediátricas que a mamãe deve seguir para assegurar uma boa saúde ao bebê. Assim, é muito importante ter um plano de saúde que inclua o bebê, ou contar com um serviço público eficiente e bem planejado. 

8 – Brinquedos para o bebê. Os brinquedos são elementos para a estimulação do bebê. Um celular de berço, um chocalho, um bichinho de pelúcia ou uma boneca não podem faltar ao pequeno. Em geral, são adquiridos como presentes de amigos ou familiares. Lembre-se que existem brinquedos adequados de acordo com a idade do bebê.

9 – Gastos com o cuidado do bebê. Após o final da licença maternidade você terá que voltar ao trabalho e seguramente terá que pensar em quem irá cuidar do seu bebê. Você pode pedir ajuda a algum familiar, os avós, sem se esquecer que eles não são obrigados a fazê-lo, ou contratar uma babá para cuidar do seu bebê. Existem famílias que não têm outra opção que levar o bebê para uma creche ou escola infantil. É um gasto extra que você terá que considerá-lo. 

Outra forma de economizar nas compras para o bebê é sugerir aos amigos e familiares sobre a escolha dos presentes ao pequeno. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com