Diarréia aguda em bebês e crianças. Sintomas e tratamento

Como reconhecer a diarréia aguda e como tratá-la na infância

Vilma Medina

Vilma Medina

A diarréia aguda é o aparecimento brusco de fezes moles ou líquidas em maior número ou quantidade da habitual diária. Não dura muito e o normal é que desapareça em menos de duas semanas. 

Mas, quais são as causas da diarréia aguda em crianças? E o que fazer para tratá-la? 

7 coisas que você deve saber sobre a diarréia aguda na infância

diarreia-aguda-em-bebês-e-crianças A 

1. Na maioria dos casos, a diarréia aguda se deve a uma gastrenterite infecciosa por vírus. São menos frequentes as produzidas por bactérias ou parasitas. Outras causas são: antibióticos, dieta inadequada, intolerância ou alergia alimentar. 

2. A diarréia aguda pode ser acompanhada de febre, vômitos, dor abdominal ou falta de apetite. 

3. A diarréia aguda pode produzir desidratação. Como saber se uma criança está desidratada? Nota-se quando a criança tem a boca seca, pouca urina, choro sem lágrimas, olhos fundos, perda de peso... Os pais devem se assegurar que a criança beba suficiente líquido para que não se desidrate. Deve tomar soluções de reidratação oral (soros de farmácia) após cada deposição ou vômito. Dê de comer à criança normalmente, mas sem forçar. 

4. As crianças desidratadas devem repor o líquido perdido. Oferecer o soro com frequência e em pequenas quantidades durante três ou quatro horas. Não se recomendam refrigerantes ou sucos com alto teor de açúcar, bebidas isotônica (usadas por desportistas), nem soluções preparadas em casa. 

5. Quanto à alimentação, os bebês podem continuar com o aleitamento materno ou com o leite habitual sem diluir. As crianças mais velhas podem comer normal, assim que deixarem de vomitar, sem obrigar. Os alimentos ricos em gordura ou açúcar devem ser evitados. Não introduzir nenhum novo alimento até a sua recuperação.

6. Pode ser curada espontaneamente em poucos dias. São raras as vezes que são necessários antibióticos ou outros medicamentos em bebês ou crianças com diarréia.  

7. Manter medidas higiênicas adequadas para evitar contágios: 

- Lavar as mãos, sobretudo antes de preparar os alimentos, de comer e depois de ir ao banheiro ou da troca de fraldas. 

- Lavar muito bem as frutas e verduras cruas. Cozinhar muito bem a carne e os ovos. 

- Lavar com frequência os objetos que a criança manipula. 

- Evitar compartilhar talheres, copos, garrafas, etc. 

Quando levar a criança ao pediatra por causa da diarréia aguda 

O bebê ou criança com diarréia aguda não deve ir para a creche ou escola até que as deposições se normalizem. Em que momento deveríamos levá-los ao médico? 

- No caso de menores de dois meses. 

- Quando existam vômitos persistentes. 

- Se a criança faz mais de oito deposições por dia ou tem diarréia com sangue. 

- Se o seu filho tem alguma doença crônica, por exemplo, diabetes, insuficiência renal... 

- Se a desidratação é moderada ou grave: mais de seis horas sem urinar, se a criança estiver decaída, com um estado geral ruim. 

(Nesses casos, o pediatra avaliará se é necessário fazer algum tipo de estudo ou exame de fezes). 

Fonte consultada:  Associação Espanhola de Pediatria de Atenção Primária (AEPap) 

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com

Diarréia infantil: causas, tratamento e prevenção

Diarréia infantil: causas, tratamento e prevenção

Causas e tratamentos da diarréia em crianças e bebês. A diarréia é uma doença que se caracteriza pelo aumento do número de vezes que uma criança evacua. Às vezes podem ser leves, líquida ou semi-líquida. Pode ser que a criança apresente febre ou vômitos.

O cólon irritável em crianças

O cólon irritável em crianças

O cólon irritável, também chamado ‘Síndrome do intestino irritável’, é uma doença que também afeta as crianças. Caracteriza-se pela existência de dor abdominal e/ou mudanças no ritmo intestinal (diarreia ou prisão de ventre). Pode haver distensão abdominal.

A prisão de ventre infantil. As fezes do seu bebê

A prisão de ventre infantil. As fezes do seu bebê

A observação das fraldas do bebê é muito útil. Dessa observação, além do cheiro nada agradável fornece muita informação aos pais. Desde a primeira visita do seu bebê ao pediatra pode ser habitual que ele pergunte com que frequência a criança molha as fraldas e a de quanto em quanto tempo ele faz cocô e qual o aspecto deste.

0 comentarios