Perigos com algumas fantasias de Carnaval para as crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Carnaval é uma data para tirar as fantasias das crianças do armário para desfrutarem da festa. No entanto, ao fazê-lo, muitas vezes a gente não tem como remediar porque a fantasia ficou pequena! 

As crianças crescem tão rápido que as fantasias de um ano já não valem para o seguinte e assim a gente tem que procurar muitas vezes uma loja para comprarmos uma fantasia de última hora. Os pais devem estar atentos com essa solução de emergência já que pode trazer riscos desnecessários para as crianças. 

Cuidado com algumas fantasias infantis

perigos-fantasias-no-carnaval A 

Tanto faz se comprarmos a fantasia de última hora, ou se elaboramos em casa ou herdamos de algum primo ou amigo, devemos prestar atenção aos detalhes para evitar que traga riscos para os nossos filhos: 

- É muito importante olhar a etiqueta do produto para comprovar onde foi fabricado, o tamanho do mesmo, se está homologado e se o material utilizado não é inflamável. 

- Cuidado com as máscaras para Carnaval, sobretudo com aquelas que cobrem a cabeça da criança por completo. É extremamente importante verificar que a criança possa respirar corretamente e que possua orifícios que permitam a entrada de ar pelo nariz e pela boca, além do que a máscara deve ser retirada de tempos em tempos e a criança beba muito líquido. 

- As perucas também devem ter etiqueta e devem ser elaboradas com materiais não inflamáveis ou de baixa combustão.

- A fantasia não deve conter peças pequenas que possam se soltar e as crianças possam ingeri-las provocando asfixia ou engasgo. 

- As fantasias de crianças não devem ter elementos cortantes ou que possuam pontas que possam causar ferimentos. 

- As maquiagens devem ser adequadas para a delicada pele da criança e específicas para este fim. Não devemos usar a mesma maquiagem dos adultos e sempre verificar a validade do produto que estamos utilizando. 

O perigo que uma criança pode sofrer quando a fantasia não é segura merece ser levado a sério e todos esses detalhes serem notados. Vale mais a pena investirmos um pouco mais de dinheiro e adquirirmos um produto seguro para nossos filhos.

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com