Fortaleça ao seu filho diante dos obstáculos da vida

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Como fortalecer os filhos para que eles, quando crescerem, saibam enfrentar as dificuldades e os obstáculos da vida? Como prepará-los neste sentido?

A gente ensina a comer, a caminhar, a dormir, a jogar e a praticamente tudo, mas muitas vezes nos esquecemos de aproveitar as atividades, prazeres e obrigações diárias para educar os filhos para que sejam fortes na sua forma de viver.

10 conselhos para ajudar as crianças a superarem os seus obstáculos

fortaleça-ao-seu-filho-diante-dos-obstáculos A 

No seu último livro, intitulado ‘Fortaleça ao seu filho. Guia para enfrentar as adversidades da vida’, o espanhol Javier Urra revela algumas estratégias com as quais podemos educar a criança para sejam fortes diante das adversidades da vida. A gente passa para você alguns tópicos que me chamaram muito a atenção: 

1 – Devemos evitar ser radicais, como, por exemplo, nas nossas certezas. Nada é absolutamente certo ou correto. 

2 – Estimulemos a criatividade das crianças, que é vital para enfrentar as circunstâncias adversas. 

3 – Vamos desenvolver nas crianças habilidades de pensamento como, por exemplo, que tenham uma atitude otimista e uma postura positiva. 

4 – Vamos ensiná-los que não são os fortes que lutam. Uma pessoa se faz forte porque luta. 

5 – Vamos educá-los para que tenham um bom humor. O humor é a capacidade que uma pessoa tem para conservar o sorriso inclusive nos maus momentos.

6 – Quando as crianças tirarem uma má nota na escola, ou quando se encontrarem num mau momento, que aprendam a tirar partido dessa dificuldade para aprender a não repeti-la, a se superar para aumentar sua capacidade para enfrentar problemas. Não deixemos que uma má experiência determine a vida da criança. 

7 – Devemos resgatar e potencializar determinadas forças internas como a coragem, a confiança em si mesmo, para afastar os pensamentos e as situações negativas.

8 – Vamos ensiná-los a conviver com a dúvida, a incerteza, o conflito e a ruptura. São situações muitas vezes inevitáveis, ainda que não devam dar demasiada importância. 

9 – Vamos ensiná-los que a vida não se mede pelo tempo, mas pela intensidade. Que eles aprendam a desfrutar com a qualidade ao invés da quantidade. Isso os fará perder medos e ansiedades.

10 – Vamos fazê-los acreditar que para todo tipo de problema existe um antídoto, um remédio, uma vacina, um medicamento. Que mais vale que nos ocupemos do que nos preocuparmos.

Como diz o autor do livro, é de criança quando se aprende o lugar que ocupa no mundo. É de criança quando devemos começar a colocar em prática valores como a paciência, o perdão, a solidariedade, etc. É de criança quando se aprende a se adaptar a muitas situações, a rir-se de si mesmo, a transmitirmos aos demais, a medir nossa vontade com nossas capacidades, porque quando as crianças forem maiores, serão estes aprendizados que determinarão suas decisões diante das dificuldades: a criança ou vai desmoronar ou crescerá com elas.

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com