Os benefícios para as crianças de comer em família

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Ontem, durante o jantar, o meu filho de dois aninhos decidiu provar a salada de alface e tomate. É verdade que não lhe tenha causado grande entusiasmo, mas considero que tenha sido um começo importante: até agora não tinha vontade nem de vê-la! Essa pequena conquista me fez pensar sobre os grandes benefícios de comer em família ou em grupo no tema educativo da alimentação infantil. 

Como sabemos, a imitação é a melhor ferramenta de que os pais dispõem para persuadir eficazmente aos seus pequenos; eles adoram repetir os comportamentos das pessoas que fazem parte do seu meio. Eu não posso discutir com meu filho sobre as virtudes de comer frutas e verduras se eu não as provo. Através da imitação de condutas, o nosso filho se apropriará dos hábitos saudáveis da alimentação da família ou da escola. 

A alimentação saudável das crianças começa em casa

os-benefícios-para-as-crianças-de-comer-em-família A 

Comer em família, além de favorecer a introdução de novos alimentos tem muitos outros benefícios igualmente interessantes: 

- A alimentação infantil se desenvolve no contexto e ambiente adequados, sem improvisações, lugar onde todos os membros da família participam e desfrutam. A criança que come só come em família às vezes ela se aborrece e o faz contrariada porque prefere evadir-se da situação e do lugar. A criança deve entender que se alimentar consiste em desfrutar de uma necessidade; não é uma obrigação ou um momento desagradável. O local da refeição se converte em ‘aula prática’ apropriada para a alimentação infantil. 

- A partir de um ano se favorece o interesse em iniciar dietas não trituradas e à mastigação, e a imitação de pais e irmãos lhes desperta o desejo de comer sozinhos, e em conseqüência o interesse em desenvolver a motricidade das mãos. 

- Marcar um ritmo na hora da refeição: ensinar à criança a comer devagar e mastigando bem, mas sem se entreter ou abandonar o prato à sua sorte; como diz o ditado, ‘sem pressa, mas sem pausa’. 

- É possível abrir o apetite nas crianças que dão trabalho para comer, da mesma forma que a gente quando somos convidados a um banquete e chegamos a comer inclusive mais do que nos apetece por desfrutar do momento e da companhia. 

- Nos ajuda a detectar e prevenir possíveis desordens na alimentação infantil: anorexias, quando a criança come muito, fobias ou alergias sejam temporais ou não. 

- O momento da comida nos serve para ensinar-lhes a ter pequenas responsabilidades no lar como colocar ou retirar a mesa, varrer as migalhas do chão, etc. 

- Se consegue alimentar, não apenas o corpo, mas também a comunicação entre pais, filhos e irmãos. É um excelente momento de encontro familiar, dos quais dispomos muito pouco diariamente. 

O aprendizado de um comportamento alimentar correto é muito relevante e é missão fundamental dos pais, assim que eu penso que o melhor é incorporar à nossa mesa o quanto antes possível, aos membros menores da família, ainda que haja que abrir um espaço para a sua cadeirinha e ajustar os horários às suas rotinas ou necessidades de alimentação infantil.  

Patro Gabaldón

Guiainfantil.com