Oito boas razões para não bater nas crianças

Por que não dar cintadas ou cascudos nos filhos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Bater com cintos ou dar cascudos nas crianças ainda está muito arraigado em muitas sociedades. O cansaço, o estresse, o nervosismo e a vontade de resolver rapidamente uma situação conflitante por parte dos pais, muitas vezes faz com que eles terminem batendo sem necessidade e até mesmo disciplinando em excesso as crianças

Esse tipo de violência está cientificamente comprovado que não educa aos filhos em absoluto, mas que pelo contrário é contraproducente para a sua educação. A gente oferece 8 razões para pensar em outra alternativa antes de soltar a mãe na criança

8 razões pelas quais não se deve aplicar castigo físico nas crianças

oito-boas-razões-bater A  

1 – Não serve para educar: A criança responderá por medo e não porque entenda o que lhe pede, e, portanto, não modificará o seu comportamento em situações futuras. 

2 – Influencia negativamente na personalidade da criança: Uma criança que apanha muito, que ouve gritos e é humilhada se sente prejudicada na sua autoestima, sente-se indefesa diante de quem deveria proteger-lhe e faz com que perca o respeito pelos pais, seus modelos a seguir. 

3 – Demonstra que não sabemos resolver os conflitos sem violência: Os pais lembram aos filhos que não devem gritar, que não devem bater em outras crianças, que devem se comportar de uma maneira civilizada, no entanto, nós impomos a violência quando perdemos a paciência. Não se pode pedir que não batam se a gente espanca. Há que saber resolver os conflitos falando, dialogando ao invés de disciplinar por qualquer motivo. 

4 – É uma perda de controle dos pais: Realmente, quando um adulto bate, seja em quem for, ele demonstra que perdeu o controle e que não sabe educar ou chegar a um acordo sem impor a força. A gente se desmorona como autoridade competente e lhes mostramos o nosso pior lado. Diante de tudo os pais devem exercitar o autocontrole. 

5 – Aprenderão a nossa violência: As crianças são autênticas gravadoras de todos os nossos comportamentos. O mais certo é que alguém que bata nos seus filhos ele o tenha experimentado em sua própria carne quando pequeno com seus pais. A violência gera violência. Por que não acabar com os erros que os nossos pais cometeram com a gente?   Quando se justifica a força dizendo que uma pancada não tem nada a ver, por que não permitimos que o nosso chefe faça isso com a gente no escritório? Se isso não vale pra gente, tão pouco serve para nossos filhos. 

6 – Por que gera mal estar na gente: O castigo físico não é nem terapêutico nem educativo e além do mais nos faz sentir culpados. Trata-se de uma maneira de refletir o seu fracasso como educador, num desabafo momentâneo que causa mal estar em toda a família. 

7 – Prejudica a comunicação entre pais e filhos: Se o que você pretende é que o seu filho confie em você, ouça dele os seus problemas e inquietações, especialmente ao chegar a etapa tão problemática da adolescência, a violência conseguirá justamente o contrário. A violência afastará o seu filho de você e isso não tem preço.  

8 – Cria nas crianças medo e ansiedade: Excesso na disciplina como tapa no rosto pode fazer com que a criança mude a sua visão dos pais, seus referenciais, como alguém que devem temer e em quem não se pode confiar porque se estiver nervoso pode bater na cara novamente. Isso faz com que a criança desenvolva ansiedade diante de qualquer comportamento reprovável e a torna numa criança medrosa. A violência também ensina à criança a ter uma atitude agressiva e a ser anti-social, desenvolvendo menos empatia em relação aos outros.  

Patricia Fernández

Redatora de Guiainfantil.com