Quando as crianças não querem falar

O que é o Mutismo seletivo em crianças

Vilma Medina

Vilma Medina

Podemos definir o mutismo seletivo como a dificuldade que alguns meninos e meninas apresentam quando têm que se comunicar verbalmente em situações que são pouco familiares para elas ou quando têm que fazê-lo com pessoas pouco conhecidas. 

As crianças com mutismo seletivo têm uma capacidade linguística e comunicativa adequada para a sua idade, mas limitam sua comunicação oral a pessoas muito íntimas e em situações muito específicas. Ou seja, nessas crianças, as dificuldades de se comunicar não se devem a transtornos da linguagem nem com qualquer outro transtorno do desenvolvimento, mas que o mutismo seja uma estratégia aprendida para evitar situações em que têm que falar e que acabam gerando muita ansiedade. Por isso, podem compensar utilizando meios de comunicação alternativos como cochichar ao ouvido, fazer gestos, caretas, sacudidas de cabeça, empurrar para pedir algo... 

Por que acontece o mutismo seletivo em crianças

quando-as-crianças-não-querem-falar A 

No aparecimento e desenvolvimento do mutismo seletivo influenciam diferentes variáveis como:

- Variáveis próprias da criança: timidez, falta de habilidade social, dependência, vulnerabilidade à ansiedade, retraimento social, etc. 

- Variáveis ambientais relacionadas com o contexto da criança: estilo educativo superprotetor ou autoritário dos pais, baixo nível de sociabilidade ou isolamento familiar, apego excessivo da mãe, modelos inadequados de relação interpessoal, experiências sociais traumáticas, perfeccionismo familiar ou escolar, etc. 

Todas essas variáveis aumentam a probabilidade de sofrer o mutismo, mas o transtorno pode ser desencadeado quando existe na vida da criança um acontecimento vital estressante, aparecendo especialmente com o início da escolarização. 

Por que se mantém o mutismo seletivo em crianças

Uma vez que aparece o problema do mutismo seletivo, o transtorno se mantém no tempo devido fundamentalmente a duas condições: 

- Essas crianças podem ter um excesso de atenção por parte dos adultos que as rodeiam, assim como um excesso de proteção ou acomodação à forma alternativa como se comunicam, o que reforça o mutismo. 

- Por outro lado, as outras crianças podem retirar-lhes completamente a atenção, o que provoca que se reduzam as suas interações com iguais, agravando a situação de isolamento social

Aroa Caminero

Psicóloga

Centro de Psicología Álava Reyes

As causas da baixa autoestima em crianças

As causas da baixa autoestima em crianças

É impossível tornar nossos filhos felizes evitando com que eles não sofram qualquer contratempo. Os pais devem prepará-los para enfrentar a adversidade por ser uma postura muito eficaz e educativa. Compreender como as crianças se sentem, guiá-las com atenção e carinho constantes, não exigir-lhes muito e apoiá-los para que possam render ao máximo suas qualidades são alguns conselhos práticos para os pais.

O senso de ridículo nas crianças

O senso de ridículo nas crianças

A vergonha, a timidez, o senso de ridículo são sentimentos interconectados que começa a ser experimentado por volta dos primeiros anos e vão evoluindo durante o desenvolvimento.

Falar não é a mesma coisa que dialogar com os filhos

Falar não é a mesma coisa que dialogar com os filhos

Blá, blá, blá... Muitas vezes a gente não se dá conta, mas a comunicação que temos com nossos filhos é unilateral. Se o seu filho deixa de fazer um dos seus deveres, você começa a falar sem freios, a descarregar um monte de reprovações e não escuta o que ele tem a dizer. Se você continua sem dialogar com o seu filho, não estranhe se um dia ele comece a falar sem parar e não te escute.

10 conselhos para ajudar crianças envergonhadas

10 conselhos para ajudar crianças envergonhadas

A vergonha faz com que as crianças sintam raiva, frustração, tristeza ao se depararem em uma situação que os incomodam quando acreditam que os outros as estão julgando e avaliando. A gente te conta o que os pais podem fazer para ajudar as crianças a superarem a timidez.

Como é a criança com sentimento de inferioridade

Como é a criança com sentimento de inferioridade

Uma criança não nasce com complexo de inferioridade. As crianças nascem sem informação sobre o mundo e pouco a pouco vão aprendendo como funciona. Podem pensar que são inferiores aos outros como consequência de uma criação pouco adequada ou pelas duras condições externas às que são submetidas.

0 comentarios