O vínculo afetivo entre pais e filhos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Com certeza você se lembra da primeira vez que pegou seu bebê nos braços, aconchegado num abraço ou em uma carícia. Durante os primeiros dias de vida do bebê, é fundamental o vínculo corporal, o contato físico dos pais com ele. É uma forma de fortalecer o apego e a comunicação afetiva entre pais e filhos

O apego entre pais e filhos

As massagens, assim como a natação infantil, são vias que favorecem não somente o desenvolvimento físico e mental dos pequenos, mas também estimulam a comunicação do bebê com seus pais. Experimente carregar seu bebê nos braços e dar-lhe carinho. Você estará ativando a sensibilidade da sua pele e de todo o seu sistema sensorial Estará criando um laço de comunicação com ele. 

Ainda que algumas vezes pareça que o bebê seja uma criatura inerte e passiva, se você tocá-lo, ele responderá. Se você observar bem, notará que ele te responde com um balbucio, um gemido com uma carinha de bem estar e inclusive com um sorriso. Mas não é a única forma que você pode observar que o bebê te responde aos estímulos. Quando você o segura na piscina, o pega pela barriguinha, nos seus braços para que não se afogue, estará se comunicando com ele. A mesma coisa durante a amamentação, o primeiro banho, ou numa massagem como a Shantala. Ao passar creme por todo o seu corpo e logo massagear seus braços, pernas, pés, articulações, o bebê te responderá relaxando. 

Por outro lado, a resposta do bebê aos seus contatos seja através da massagem ou da natação, crescerá e será observada no dia a dia. Os exercícios na água aumentarão a força muscular, melhorará a capacidade cardiovascular e a coordenação do bebê. Estimulará seu apetite e o ajudará a se relaxar e se equilibrar melhor. A massagem ajudará o bebê a se relaxar melhor depois do estresse de nascer e de se encontrar com um mundo totalmente diferente e novo para ele. Quanto aos pais, verão que o vínculo e o contato físico com o seu bebê, os brindará com uma comunicação mais próxima e mais fluida, dia após dia. Funcionam como um cordão umbilical, através do qual o bebê poderá se comunicar com seus pais e eles com ele. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com