A prisão de ventre em bebês

Quando o bebê tem dificuldade de evacuar

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A prisão de ventre é um transtorno que se caracteriza pela dificuldade ou impossibilidade de evacuar que a pessoa tem. Durante os primeiros meses de vida de um bebê, tanto a coordenação dos movimentos do seu intestino, assim como o relaxamento do esfíncter do seu ânus não é muito eficiente ou não amadureceu o suficiente. Nesses casos, é normal que o pequeno se mostre incomodado, chore com insistência, levante suas perninhas e fique vermelho tentando empurrar as fezes. Esses são alguns sintomas de prisão de ventre nos bebês.

Quando se pode dizer que o bebê está com prisão de ventre

Pode-se dizer que um bebê está com prisão de ventre quando o pequeno fica nervoso e intranquilo. Move as pernas incessantemente, fica vermelhinho pelo esforço e chora muito. Os gases e as cólicas são inevitáveis quando o bebê está nesse estado. Segundo os especialistas, durante a amamentação os bebês podem sujar as fraldas com fezes quase toda vez que se alimentam do leite, às vezes poucas fezes, algumas vezes muitas. A frequência de evacuação vai diminuindo à medida que os bebês crescem. A partir dos 2 meses de idade, geralmente eles só evacuam uma ou duas vezes por dia. Tudo dependerá do tipo de alimentação que estiver recebendo, como também de sua própria natureza, se o pequeno tem alergia, etc.

A prisão de ventre no bebê requer uma intervenção rápida dos pais e do pediatra, para evitar que o problema se converta numa doença crônica, ou que se complique. Quanto mais tempo as fezes estiverem no cólon do bebê, mais secas e duras ficarão e sua eliminação será ainda mais difícil e dolorosa.

O que fazer para remediar

A constipação é rara em bebês novinhos, principalmente nos que mamam no peito. O cocô do recém-nascido é pastoso ou quase líquido, amarelado e com pequenos grumos. Caso seu filho estiver fazendo cocô em forma de bolinha, é provável que esteja com prisão de ventre. É comum os bebês começarem a sofrer com prisão de ventre quando começam a comer outros alimentos.

Quando a evacuação do bebê cessa, primeiro se deve descartar que ele esteja mamando bem. Se o bebê não come, não é que se constipe, mas porque não tem nada que evacuar. Nos primeiros dias de vida, o bebê deve evacuar pelo menos três vezes por dia, se isso não acontece, provavelmente está recebendo pouca alimentação. Se o bebê deixa de evacuar por um ou dois dias e quando voltar a fazê-lo e suas fezes estão duras e secas, pode ser que tenha deixado de evacuar por causa da prisão de ventre. Nesse caso, os pais devem comunicar o pediatra o quanto antes. 

Para aliviar a prisão de ventre nos bebês, os pais podem incluir um pouco de água extra na mamadeira. A água vai amolecer um pouco as fezes e evitará que sejam retidas no cólon do pequeno. Alguns pediatras, com efeito, recomendam diminuir um pouco a fórmula das mamadeiras, colocando 35 ml no lugar de 30 ml de água por cada medida rasa de leite. Se a prisão de ventre continuar persistente, é aconselhável que peça orientação médica.

Existe no mercado “leites contra prisão de ventre”, adequados para aliviar o problema. Outra opção são os banhos com água morna, excelente benefício para o transito intestinal do bebê. As massagens também são muito estimulantes para ajudar o bebê a fazer cocô. Pode-se flexionar as pernas do pequeno sobre o abdômen, fazendo movimentos circulares, posicionar as mãos sobre a barriguinha do bebê (na altura do umbigo), e fazer uma massagem mais profunda e na horizontal, com a palma e as pontas dos dedos. Uma massagem nas costas do bebê, com movimentos de cima para baixo, também pode ajudar o bebê a evacuar. Vale ressaltar que massagens em bebês devem ser bem suaves.

Além do leite especial, do banho quentinho, das massagens, e da água, um dos remédios mais utilizados por muitos pais é o supositório de glicerina, que se aplica no ânus do bebê. Existem pais que optam por introduzir a ponta do termômetro, embora esse método não ofereça nenhum tipo de segurança e apresente riscos de lesões no bebê. Também tem os que optam em dar suco de laranja, bastante diluído em água para o pequeno. Em todos os caso é recomendável ouvir a opinião do pediatra. De todo modo, é bom que se saiba que a prisão de ventre pode deixar de incomodar os bebês a partir do quarto mês de vida, quando, por orientação médica, começam a se alimentar com compotas, purês e papinhas de frutas e verduras, ricas em fibras.

Fontes consultadas
- Globedia.com
- Nutricion.pro
- Kidshealth.org
- ShandsHealthCare.org