Coisas que você NÃO precisa comprar para o recém-nascido

Com o primeiro filho, tudo, absolutamente tudo, consiste em uma dinâmica de tentativa e erro. A gente aprende com a experiência e ainda que apliquemos todo senso comum do mundo, as novatas se excedem. Levante a mão quem não teve que sair às pressas porque o bebê apresentava 38ºC, ou tenha esterilizado cada coisa que o bebê teria ao seu alcance, e inclusive quem já não se levantou umas vinte vezes numa noite para colocar o dedinho embaixo do nariz do bebê e comprovar se ele respirava. 

Vamos mais além. Quem não adquiriu todo tipo de produtos, muitos dos quais acabaram guardados no fundo do armário ou terminaram sendo lixo inútil? 

10 produtos pouco úteis para o enxoval do bebê

coisas-que-você-não-precisa-comprar-recém-nascido A

1. Meus tios me presentearam uma preciosa cadeira de alimentação. Trata-se de um elemento que se adapta para que o bebê possa estar sentado com os demais. Jamais o usei, por vários motivos: um, porque já tinha que sair de casa com muita coisa para acrescentar a cadeira e outro porque tinham formatos que não permitiam o encaixe. 

2. Sapatos: quando a gente vê nas lojas, a baba cai da boca. Esses preciosos sapatinhos tão pequeninos chamam a atenção de toda mãe, mas o bebê não pode usá-los e muitas vezes não são cômodos para ele. 

3. Parque do bebê: segundo minha experiência, os bebês não gostam de ficar metidos dentro e após uns minutos começam a se queixar. Você ainda poderá colocar dentro seus brinquedos favoritos e manter o contato visual constantemente com ele, que além de ser um objeto muito grande para uma casa, o bebê dirá: ‘não!’.  

4. Roupões para depois do banho: os roupões são muito complicados para serem colocados quando os bebês são muito pequeninos. Uma toalha de banho grande suave envolverá o bebê e secará perfeitamente. 

5. Aparelhos para preparar papinhas: Realmente a gente necessita de tantos aparelhos? No final  termina sendo um estorvo a mais na cozinha, porque nada melhor que um purê cozido ao estilo tradicional na panela. 

6. Aquecedor de mamadeiras: Outro aparelho que acaba no fundo do armário da cozinha. Existem lojas que vendem o aparelho com um encaixe para usá-lo no carro. Eu acredito que não implica em tanto trabalho esquentar uma mamadeira em banho-maria como faziam nossas mães.

7. Porta chupetas. Em algum lugar longe e escondido da minha casa estará todos os porta chupetas que fui perdendo ao longo do tempo. Eu, particularmente, sempre tentava tê-los à mão, mas nunca os utilizava e sempre acabavam se perdendo (isso deveria ser objeto de estudo). 

8. Bichinhos de pelúcia: os bebês não brincam com bichinhos de pelúcia e para uma alérgica como eu, quanto mais distantes, melhor. 

9. Protetores de mamilo. Eu nunca os usei, mas tenho amigas que tentaram e cada vez que tentavam aproximar o bebê ao peito, eles enrugavam a testinha e afastavam da boca. 

10. Babá eletrônica. Eu já tive vários e todos acabaram dentro da caixa. Eu ficava farta das interferências e dos ruídos repentinos ou dos apitos sinalizadores. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

  • Refluxo gastro-esofágico nos bebês
    Refluxo gastro-esofágico nos bebês

    O sintoma mais comum do refluxo gastro-esofágico são os frequentes vômitos. Não existe nada mais incômodo quando, depois de comer, o alimento sólido ou líquido é devolvido do estômago ao esôfago, provocando vômitos e náuseas.

    • O primeiro dia do bebê em casa depois do parto
      O primeiro dia do bebê em casa depois do parto

      Depois do parto, o bebê e a mamãe passam alguns dias no hospital e logo recebem alta para voltarem para casa. É justamente nessa hora que muitos pais de 'primeira viagem' ficam em dúvida do que vão fazer a partir daquele momento.

0 comentários