Os avós e os netos: um encontro enriquecedor

Conheça a importância do convívio dos netos com seus avós

O nascimento de um bebê transforma completamente o dia-a-dia de um lar. Aos compromissos e responsabilidades já existentes, somam-se outras muito distintas: a de educar ao pequeno da casa, e acompanhar seu desenvolvimento e crescimento. Os prazeres de ter um bebê são muitos, mas não se pode ignorar que o trabalho aumenta.

Em muitas famílias, conciliar trabalho, casa e filhos, é uma tarefa que requer muita habilidade e, em muitos casos, alguns sacrifícios. A chegada de um bebê não só altera a vida dos pais, mas também a de muitos avós. Poder contar com eles é um recurso muito valioso.

Relação dos avós com seus netos

Avós e netos

A presença dos avós é um consolo e um descanso para muitas famílias. As mudanças que provocam o nascimento do bebê os afetam menos que aos pais, e suas obrigações estão em um plano secundário, dependentes da autoridade dos pais do bebê, e da disponibilidade que tenham para compartilhar os cuidados, o afeto e o tempo do bebê com seus consogros.

Os avós podem proporcionar uma assistência prática, apoio, e uma cadeia de conselhos úteis para cuidar do bebê. O encontro dos avós com seus netos é sempre muito enriquecedor para ambos os lados. Para muitas crianças é encantador estar com seus avós por diferentes e variadas razões.  Alguns porque ao lado dos avós não existem ordens nem obrigações. Outros porque podem fazer coisas diferentes com eles, como preparar biscoitos juntos, comer doces, fazer passeios, ir ao parque, e realizar uma infinidade de atividades que fazem com que eles se sintam mais livres.

Alguns netos vêem a seus avós como um amigo, uma espécie de guia, como divertidos, carinhosos, mimosos e que gostam de estar com eles. Mas, claro, tudo depende da forma de ser dos avós. Há também os que apenas envelhecem e continuam tratando aos mais pequenos de uma maneira muito autoritária e muito exigente.

Mas, em geral, os avós sentem muito prazer com seus netos. Estar com eles é também uma forma de renovar-se pessoalmente. É ter mais participação na família e sentir-se mais jovens e atualizados. Aprende-se muito com as crianças.

Relação dos avós com os pais de seus netos

Nem sempre se pode dizer que a relação dos avós com os pais de seus netos seja a melhor possível. Infelizmente, podem existir conflitos quanto ao tipo de educação que é aplicada à criança. As gerações são distintas, e diferentes também são os critérios de educação. Os mais jovens não podem mudar as razões dos mais velhos. Os avós não estão mais para educar. Já educaram, bem ou mal, aos seus filhos.

Os avós estão para dar carinho, dar a mão de vez em quando e passar um bom tempo com seus netos. Se os avós vão estar com os netos, o ideal é que haja um acordo entre as partes, para o bem da criança e de todos. Para isso, é necessário que entre os pais e os avós exista uma relação tranquila, específica e verdadeira, livre de ciúmes, em que reine o respeito às exigências e aos hábitos do outro.

  • Como conciliar filhos e trabalho
    Como conciliar filhos e trabalho

    Muitos pais se sentem frustrados, com sentimento de culpa e impotentes diante da falta de tempo junto aos seus filhos. Deixar a educação nas mãos de terceiros e não poder acompanha-los em suas atividades é muito duro para muitos deles.

    • Como escolher uma babá para seu filho
      Como escolher uma babá para seu filho

      A melhor babá para os seus filhos. É uma decisão muito importante ter que delegar a outra pessoa o cuidado dos filhos. Requer uma busca e uma segurança quanto às condições que considerem necessárias. O mais complicado é encontrar a pessoa adequada, a babá mágica. Deve-se ter muito claro que será muito difícil encontrar alguém que faça as coisas como os pais. O que devem comprovar é que haja uma boa relação entre a babá e a criança.

    • Será que eu sou uma mãe ruim?
      Será que eu sou uma mãe ruim?

      Que mãe eu sou! É uma frase que seguramente muitas mães pensam, mas não têm coragem de dizer em voz alta. E como parece difícil reconhecer que somos imperfeitas. Às vezes gritamos, protestamos, somos injustas, relaxadas, exigentes ou autoritárias.

8 comentários

  • d
    deia2701

    Valoración usuario

    Valoración:

    07/03/2014 04:57

    olá,estava lendo alguns comentários...pois bem tenho 33 anos e sou vó de dois anjos,a kemily kauane de 3 anos e 5 meses,e do kaleb que um ano e meio...eles são minha vida,moram comigo e dou tudo que eles precisam,,claro que tudo que precisam,não dou tudo oque querem...quando a kemily nasceu eu estava com sindrome do pânico,ela foi minha cura,meu remédio...amo meus netos mais que tudo....

    Avaliar
    Responder
  • p
    patricia

    01/08/2012 19:02

    bom eu concordo prenamete em vó ser a vó não mae a mae sim que dever educar seus filho desde de que tenha capacidade ... pq tem mão de primeira viagem que não sabe neh se quer fazer nd educar com carinho aceita ouvir os avos que ja tem esperiencia nunca e demais .. pq ja criança que hj em dia pode quebrar a casa das pessoa os pais neh esta ae fica tipo assim não filhinho não faz isso não pode eu acho que isso sim uma 2 vezes na casa dela para não psssar vergonha mais tarde eduque seu fihlo antes de sair de casa!!! boa sorte

    Avaliar
    Responder
  • a
    auxiliadora

    28/02/2012 17:27

    eu criu uma neta que os pais abodono com um mes depois de um ano e sete meses eles levarao da minha casa minha ,agora eu perguntou eu sou avo adotiva tenho direito da guardar compartilhada.pofvor mim de uma luz eu sei que jesus mim deu minha filha nao pela metade;

    Avaliar
    Responder
  • l
    léa martins

    22/02/2010 17:09

    ;D graças à Deus tenho minha mãe comigo, sou separada há pouco tempo, e minha mãe é quem ajuda a cuidar da minha Alicia com 02 nos e 3 meses, ela ainda trabalha e ja esta em sua 2ª licença especial para ficar com ela,;) agradeço muito à Deus por ela.

    Avaliar
    Responder
  • C
    Claudia Benko

    24/11/2009 15:51

    Eu infelismente não tenho mais meus pais, e do ldo do meu marido não existe a aceitação da nossa filha, portanto a minha pequena não tem essa referencoia, será que isso poderá no futuro compromete-la de aguma forma? Por mais que eu tentasse, não houve nenhuma boa vontade da familia de meu marido em querer algum contato com nossa filha...

    Avaliar
    Responder
  • r
    robson de souza

    16/11/2009 20:27

    Como eu fale no outro comentario, nao sei o que faco para meu unico filho ter uma vida melhor,sem machucar os avos que ja estam muito machucado, com perda de sua unica filha de 34 anos de idade,eu moro EUA, nao sei se trgo para viver comigo ou nao, eu estou legal no pais, me escreva dando opiniao: [email protected]

    Avaliar
    Responder
  • r
    robson de souza

    16/11/2009 20:08

    Meu filho a maior parte com os avos maternos,as decicoes da vida eram tomadas em conjunto com mae, agora mae morreu dia 6/11/2009,eu moro nos EUA,nao sei se trago para viver comigo ou nao,estou legal no pais,estou super confuso me ajude.

    Avaliar
    Responder
  • S
    Silvana

    04/11/2009 13:58

    Trabalho meio expediente e deixo meu filho de 1 ano e 4 meses com a avó paterna, ela o ama muito e o trata com muito carinho, porém deixa correr muito frouxo na educação, deixando que a criança a morda e bata quando não faz o que ele quer, ela também não aceita algumas determinações dadas pelos pais e sempre tem uma justificativa que o modo dela que é o correto, sempre dando um jeitinho de não atender o que os pais pedem ou fala que aceita e faz da forma dela, sei do amor que ela sente mais estou procurando uma creche para pôr após os 18 meses, um lugar onde possam ouvir o que eu falo e tenham profissionais que acompanhem meu filho.

    Avaliar
    Responder

Página: 1 de 1 (8 Artigos)