Soluções para a alimentação das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Preparar almoços e jantares para toda a família é uma tarefa cada vez mais compartilhada pelos casais, mas ainda que se isso seja dividido entre duas pessoas, ainda requer esforço e planejamento, já que além de cozinhar também a gente tem que sair para comprar os ingredientes, empacotar, congelar, planejar os cardápios da semana e cozinhar receitas saudáveis para toda a família.

Até aqui, vai tudo bem. A gente gosta de comer e nossa saúde depende dos alimentos que a gente leva à boca e a cada dia mais a gente tem conhecimento de nutrição para evitar a obesidade infantil, a hipertensão e o diabetes. Além disso, na maioria dos casos, todos nós chupamos os dedos degustando sabores deliciosos e desfrutamos da conversa em família ao redor de uma boa mesa. O problema vem quando temos em casa uma criança que não come de tudo

O que fazer com as crianças que só comem o que gostam

soluções-para-a-alimentação-das-crianças A

Se, quando a comida chega à mesa a criança rejeita tudo o que leva algo verde e começa a tirar o pimentão, ou separa as ervilhas da salada, a paciência dos pais é colocada à prova. No entanto, seguramente alguns pais estejam pensando que poderia ser muito pior, já que não tem jeito que os seus filhos provem novos pratos e se negam a comer o que o resto da família come, e para evitar que eles fiquem sem almoçar ou jantar, sempre os pais acabam fazendo o que eles gostam.  

Como todos os pais já sabem, não é possível viver só de pão, batata frita, arroz, hambúrgueres, empanados e molho de tomate. As frutas, as verduras, os legumes e os peixes também devem fazer parte da sua alimentação. Para acostumar a estas crianças a comerem de tudo é imprescindível colocar em prática uma série de estratégias para isso. 

Para mudar os hábitos dos ‘comedores seletivos’, como alguns nutricionistas chamam essas crianças, a primeira coisa que os pais devem ter muito claro é que comer somente alimentos determinados pode acarretar em consequências negativas para a saúde, já que uma dieta variada é do que a criança necessita para o seu correto desenvolvimento. Portanto, devem-se combinar alimentos que as crianças não gostem com aqueles que são do seu agrado, por exemplo, arroz com molho de tomate e peixe, evitando encher o parto até as bordas combinando com a criança a quantidade mínima do que tem que comer daquilo que na é do seu agrado. 

Conversar com as crianças sobre as vantagens dessa mudança na sua alimentação também é importante. Nenhum alimento por si só contribui com todos os nutrientes que a gente necessita. Uma comida variada pode ajudar em benefícios sociais como na hora de ir a um restaurante ou quando um coleguinha de classe chama o amigo para comer na casa dele, além de inúmeras vantagens que implica para a sua saúde, para o seu peso e tamanho, para a sua pele ou o seu cabelo. 

Marisol Nuevo

Redatora de Guiainfantil