Crianças caprichosas com a comida

Como agir diante de crianças que têm caprichos com os alimentos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Salsichas, pizzas, macarrão, sorvetes, biscoitos e chocolate. Este parece ser o cardápio ideal da criança caprichosa com a comida e que se nega a comer qualquer outro tipo de alimento. Diante desses comportamentos, os almoços e jantares se tornam num suplício e os pais já não sabem o que fazer. Por que algumas crianças se comportam dessa maneira? Como agir, e, sobretudo o que fazer se temos uma criança caprichosa com a comida? 

Por que as crianças são caprichosas com a comida

crianças-caprichosas-com-a-comida A 

Entre os 2 e 5 anos é normal que as crianças sejam caprichosas com a comida, que se neguem a comer, sobretudo frutas ou peixe e se inclinem basicamente a macarrão, lácteos ou determinados tipos de carne. A gente te explica por que isso acontece e o que podemos fazer diante dessas situações, em muitos casos muito estressantes para toda a família. Algumas razões que explicam o comportamento caprichoso de algumas crianças em relação à comida são: 

1. Alta sensibilidade diante de determinados sabores e texturas. Existem crianças que são extremamente sensíveis aos sabores, sobretudo aos amargos das verduras e texturas de alguns alimentos que lhes apresentamos. Recentes pesquisas indicam que a rejeição aos sabores amargos responde a mecanismos biológicos, enquanto que os sabores doces são mais fáceis de serem aceitos pelas crianças. Felizmente, o sentido do gosto evolui com a idade. 

2. Chateação com a comida. Algumas crianças se aborrecem comendo e as comidas parecem uma eternidade. Muitas dessas crianças já sabem que no final, provavelmente esse prato que elas não querem o papai ou a mamãe acabarão comendo e ela poderá se levantar da mesa e ir brincar. 

3. Atitude de autoafirmação. Um modo da criança dizer que em relação à comida é ela que decide o que e quando vai comer. 

4. Medo dos alimentos novos. A grande maioria das crianças tem medo dos alimentos novos e se negam a comer qualquer coisa que não tenham provado antes ou que tenha determinadas cores como, por exemplo, os verdes das verduras. 

5. Forma de chamar a atenção. O comportamento caprichoso com a comida pode responder também a uma forma de manipulação, um modo de chamar a atenção dos pais. 

10 conselhos para agir diante de crianças caprichosas com a comida 

Comer bem, e de tudo, se aprende da mesma forma que se aprende a ler, escrever ou andar de bicicleta. Como tal aprendizagem, ela requer tempo, constância e muita paciência. Para algumas crianças isso é mais fácil do que para outras. Algumas crianças começam a comer de tudo sem problemas, enquanto outras se mostram melindrosas desde o primeiro momento em que introduzimos novos alimentos na sua dieta. 

1. Envolver as crianças nas compras. Deixe com que o seu filho te acompanhe nas compras e coloque as frutas e verduras na sacola, que as observe, as toque e as cheire. 

2. Permitir que entre na cozinha e te ajude a preparar as refeições. Não existe nada que a criança goste mais do que entrar na cozinha e ajudar sua mãe ou papai a cozinhar

3. Promover hábitos de alimentação saudáveis. Tanto nos almoços como nas jantas ofereça variedade de frutas, verduras e peixes. Evite os pratos pré-cozidos e aqueles industrializados.

4. Evite distrações nas refeições. desligue a televisão, retire os smartphones, os tablets ou qualquer outro tipo de brinquedo, livro ou jogos. 

5. Faça das refeições um momento agradável. A hora de almoçar ou jantar deve ser um momento de relax quando o diálogo familiar deve fluir. 

6. Evite discutir pela comida. Se o seu filho se nega a comer, evite discutir com ele, repreendê-lo ou castigá-lo. 

7. Ofereça opções. Por exemplo, na sobremesa permita que ela escolha entre 2 ou 3 tipos de fruta. 

8. Reduza quantidades. Não é necessário que se coma um prato inteiro de lentilhas. Que ela coma somente algumas colheres pela primeira vez já está bom e felicite ao seu filho quando o fizer. 

9. Evite castigar ou premiar com algum alimento. Quando a gente premia as crianças com determinadas sobremesas ou as castigamos sem ela, a gente está enviando uma mensagem a elas que é um alimento diferenciado e que os demais não têm muito valor. Com essa mensagem em mente é normal que logo ela se incline somente pelas sobremesas do tipo chocolate ou sorvete e rejeite as frutas. 

10. Paciência e constância. Todos nós mudamos nossas preferências alimentares à medida que crescemos e aprendemos. A paciência e a constância são decisivas em qualquer processo de aprendizagem

Algumas dessas pautas podem nos ajudar a superar essa fase, ainda há que levar em conta dois fatores determinantes, como são o temperamento da criança e o modo como enfrentaremos os caprichos dos nossos filhos. Ambos são chave na duração desse comportamento e na instauração de novos hábitos alimentares

Sara Tarrés

Psicóloga Infantil