Uma criança feliz é travessa, inquieta, curiosa e barulhenta!

Vilma Medina

Vilma Medina

Um dos objetivos principais que os pais têm é criar os filhos felizes. Tanto faz se ele é o mais esperto da classe, se não jogam bem futebol ou se não são os mais bonitos pelos padrões estabelecidos. O importante é que cresçam alegres! 

Nem sempre as crianças mais espertas, com habilidades especiais ou especialmente bonitas são as mais felizes, tão pouco as que se comportam melhor os mais tranquilos ou calados. Às vezes, são aqueles que parecem mais revoltados, inquietos ou inclusive incômodos para os adultos. E isso tem uma explicação lógica. 

As crianças mais barulhentas são mais felizes que as caladas

uma-criança-feliz-é-travessa A 

Certa vez, uma diretora da escola infantil me disse que preferia uma criança travessa e barulhenta a uma que fique sentada no seu canto olhando as outras. A primeira criança participa, brinca, erra e aprende, é feliz. 

As crianças são travessas, inquietas, curiosas, dão birras, gritam, desobedecem e têm gênio difícil. As crianças correm, pulam, dão gargalhadas e riem com força. São crianças! Estão em pleno processo de aprendizagem, estão descobrindo o mundo, confrontando aos seus adultos de referência, medindo suas forças. 

O certo é que o nosso trabalho é ensinar-lhes a se comportar, a manter a compostura, a ter bons modos, a adquirir estratégias para uma boa conduta. Isso fica fora de toda dúvida. No entanto, eles necessitam de tempo. Nós estamos lhes ensinando e eles estão aprendendo

A pedofobia está se apoderando de boa parte da sociedade que pretende que os bebês não chorem nos aviões, que as crianças estejam sentadas duas horas num restaurante sem levantar a voz ou andem pela rua como robôs ao invés de ficar dando pulinhos. 

O que aconteceria se inibíssemos toda essa inquietação, gritos, birras e travessuras das crianças? O que aconteceria se nunca, sob nenhuma circunstância pudesse sair dos trilhos? Se não pudesses ser crianças? Simplesmente não cresceriam felizes, não estariam alegres, e estaríamos tirando a capacidade de:  

- Experimentar com o seu meio e das pessoas que as rodeiam. 

- Desenvolver habilidades como a autonomia, a comunicação, a lógica, a temperança... 

- Estimular sua inteligência emocional: elas não estariam trabalhando as cinco emoções básicas: medo, ira, alegria, tristeza e o nojo, para poder controlá-las e dominá-las. 

- Inclusive seus momentos de mau humor e birras promovem a capacidade de argumentar, da memória, da capacidade de dar respostas a situações complicadas.   

Portanto, se em algum momento você vir a uma criança que está sendo barulhenta, não tenha um olhar ruim em relação aos seus pais. Seja um pouco mais tolerante... Ela está sendo feliz

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

Uma boa auto-estima. Criança que se aceita como é

Uma boa auto-estima. Criança que se aceita como é

Autoestima das crianças. A valorização de si mesmo é um grande passo para uma boa auto-estima.  A aceitação e a valorização, são tijolos básicos dentro da construção de uma boa auto-estima. A criança que se sente aceita como é, é uma criança que aprende a assumir seus erros, e posteriormente, a convertê-los em melhorias.

Uma criança sem limites não é uma criança feliz

Uma criança sem limites não é uma criança feliz

Todas as crianças necessitam de limites. Uma criança sem controle é como um barco sem timão, um caminhar sem rumo nem direção. Não se pode educar uma criança de qualquer forma, deixando-a fazer o que ‘dá na telha’.

A educação aumenta a felicidade das crianças

A educação aumenta a felicidade das crianças

Todos os pais se preocupam com a felicidade dos seus filhos e acredito que os pais são os mais implicados na hora de gerar este sentimento positivo nos filhos através da educação. A educação e o afeto que lhes damos a cada dia.

Educar o senso de humor das crianças

Educar o senso de humor das crianças

Existem poucas coisas tão maravilhosas como o sorriso ou a gargalhada de uma criança! Para um pai não existe nada melhor do que ver o seu filho feliz, radiante, com um sorriso de orelha a orelha. O riso é um dos traços marcantes do ser humano. Você já viu algum animal rir quando está contente? O senso de humor e o riso são atos exclusivos da inteligência humana.

Os bebês aprendem a ter senso de humor dos seus pais

Os bebês aprendem a ter senso de humor dos seus pais

Eu sempre pensei que o senso de humor era inato á personalidade de cada um. Assim que eu pensava: Como esse bebê é risonho. Ele deve ter herdado dos seus pais. No entanto, os cientistas asseguram que não é assim. O senso de humor não se herda, se aprende.

As crianças que crescem com seus avós são mais felizes

As crianças que crescem com seus avós são mais felizes

Crescer junto aos seus avós aporta segurança e felicidade às crianças. Pode parecer uma reflexão muito óbvia, no entanto, um grupo de especialistas da Universidade de Oxford e do Instituto de Educação de Londres confirmou com um estudo para dar credibilidade a essa crença.

0 comentarios