Cosméticos seguros na gravidez para a pele e o cabelo

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Eu poderei continuar pintando o meu cabelo agora que estou grávida? Posso usar perfume? Devo mudar de cremes durante a gravidez? Estas são algumas das perguntas que a gente se faz quando engravidamos, preocupadas se alguns desses produtos podem chegar ao bebê através da nossa pele durante a gestação. O certo é que circulam muitos mitos sobre o uso de cosméticos durante a gravidez, que muitas vezes nos assustam e nos confundem. 

Produtos para o cabelo e cosméticos seguros na gravidez

cosméticos-seguros-na-gravidez-pele-cabelo A 

Diferente dos produtos farmacêuticos para os quais se realizam todo tipo de exames de segurança para crianças, adultos e mulheres grávidas, os testes no campo da cosmética não são tão exaustivos, e muitos cosméticos para a pele e cabelo carecem de controles de segurança comprovados cientificamente. Portanto, e sem entrar em pânico, nem todos os cosméticos são inofensivos, da mesma maneira que nem todos os produtos aplicados na pele das futuras mamães são absorvidos e passam ao sangue materno e atravessam a barreira placentária afetando o feto. 

Por este motivo e para a nossa tranquilidade convém seguir uma norma na hora de usar produtos cosméticos durante a gravidez: eliminar do nosso nécessaire todos aqueles que contenham metais e retinol. Alguns metais como os sais de alumínio que estão presentes na composição de alguns desodorantes, habitualmente antitranspirantes, podem atravessar a barreira placentária e chegar ao feto. Se você usava este tipo de desodorante e o utilizava em superfícies extensas, mãos e pés, é recomendável substituí-lo por outros em cuja composição se utilizem somente ingredientes naturais.   

Outro produto que está na mira e que é considerado não recomendável o seu uso na gravidez é o retinol. Diversos estudos têm demonstrado que os retinóides, administrados por via oral, se associam com o aparecimento de numerosas malformações no feto. Fazem parte da composição de alguns cremes indicados para o envelhecimento cutâneo produzido pelo sol em forma de retinol ou derivados. 

Os produtos para matar piolhos tão pouco convêm usá-los na gravidez, se por acaso os seus filhos te contagiam com piolhos. As piretrinas são produtos naturais que são extraídos das flores de Pyrethrum para a eliminação dos piolhos e lêndeas. Como precaução se adverte que não se deve usar em menores de 2 anos, gestantes ou mulheres que estejam amamentando, assim como em pacientes hipersensíveis aos seus componentes.  

Apesar do mito existente quanto à coloração do cabelo, as tintas de cabelo podem ser utilizadas durante a gravidez, com exceção das progressivas que podem conter sais de chumbo. Algo parecido acontece com os protetores solares para a pele da gestante. Aparentemente não implicam num risco porque os filtros solares se mantêm na camada superficial da pele e sua absorção é mínima. Uma boa notícia para as gestantes, que para prevenir o temido cloasma gravídico que produz manchas na pele do rosto e em outras áreas durante a gravidez necessitam proteger a sua pele com cremes fotoprotetores com índice de proteção solar alto. 

Os perfumes ou colônias tão pouco causam algum tipo de dano ao feto, já que não existem casos de malformações pelo seu uso no ser humano, como os produtos de maquiagem e máscaras cosméticas. 

Marisol Nuevo