8 de Março. Dia Internacional da Mulher Trabalhadora

O papel e a participação das mulheres que trabalham na sociedade

Mulheres, avós, mães, netas, sobrinhas... O dia 8 de março é de vocês!! Um dia para lembrar o papel e a participação das mulheres no processo de consciencia do seu valor humano dentro da sociedade. Um dia para registrar e despertar o mundo, e ressaltar a importância da atuação da mulher em todos os âmbitos da vida familiar e social.

Um dia é muito pouco para homenagear as mulheres e celebrar a sua luta constante, diária e incessante. Um dia é pouco para reconhecer a partipação da da mulher na construção de uma família, na conquista do mercado de trabalho, na luta pela sua liberdade de pensamento e de eleição, até chegar a ocupar um espaço a que tem direito.

A história do dia da mulher trabalhadora

Dia da Mulher trabalhadora. 8 de março

Este dia dedicado às mulheres trabalhadoras se deve a um trágico caso que aconteceu nos Estados Unidos, no ano de 1857. O dia 8 de março deste ano, as mulheres que trabalhavam numa fábrica textil de Nova York, resolveram parar de trabalhar como protesto às suas precárias condições de trabalho. Esta era a primeira vez na história que as mulheres se juntavam para reivindicar melhorias de trabalho e outros direitos.

As mulheres pediam a redução do horário de trabalho diário, que era de 10 a 16 horas diárias. Além disso, por trabalhar tantas horas, elas só ganhavam apenas 1/3 do salário que recibiam os homens.

O protesto das mulheres foi contido de uma forma muito violenta, terminando com a morte de 129 trabalhadoras, asfixiadas e queimadas dentro da fábrica. Anos depois, em 1910, durante uma conferência internacional das mulheres realizada em Dinamarca, surgiu a idéia de criar uma data específica para homenagear às operárias mortas na fábrica textil. Em 1975, a Assembléia Geral da Organização de Nações Unidas (ONU), decidiu decretar o dia 8 de março como Dia Internacional da Mulher Trabalhadora.

O valor da mulher na sociedade

A trajetória até o reconhecimento da mulher no âmbito laboral são lentos, mas avançam. Desde que nasceu a necessidade de estabelecer valores femininos dentro da sociedade, o papel da mulher tem crecido, mesmo devagar, em todos os sentidos. A mulher atual se faz respeitar, valorizar e tem ocupado espaços importante na sociedade. Mas ainda que a mulher tenha subido degraus cada vez mais altos, ainda segue sendo perseguida pela discriminação, pelo machismo, e se isso fôsse pouco, a mulher ainda é vítima de agressões sexuais e da violência de gênero.

Na Índia, por exemplo, as mulheres ainda são moeda de troca nas transações familiares, e em Pekin, a ONU estabeleceu desde 1995 um compromisso de luta pela igualdade de oportunidades entre mulheres e homens. Trata-se de um marco para colocar fim à discriminação da mulher em setores como a saúde, educação, emprego, participação política e os direitos humanos. Algo já conseguiram, mas o debate ainda continua e parece que será interminável.

Parabéns à todas as mulheres lutadoras, batalhadoras, às que continuam lutando pelos pelas seus filhos, seu trabalho, sua família… e acreditando que a igualdade de valores e de direitos são iguais para todos.

  • Como conciliar filhos e casamento
    Como conciliar filhos e casamento

    O que acontece hoje nas famílias? Muitas estão se separando e outras, simplesmente se aguentam e sobrevivem. E nós nos perguntamos o porque isso está ocorrendo. Quais são as causas? Alguns casais atribuem à perda da convivência, outros às muitas horas de trabalho, ao distanciamento, e outras ainda, à responsabilidade e compromissos com os filhos.

    • Como as crianças podem ajudar nas tarefas de casa
      Como as crianças podem ajudar nas tarefas de casa

      As crianças devem e podem colaborar nas tarefas de casa desde idades bem precoces. A partir dos dois anos é quando a criança começa a mostrar interesse em ajudar nas tarefas domésticas porque se sente com a capacidade suficiente para fazê-lo.

    • Conselhos para continuar trabalhando durante a gravidez
      Conselhos para continuar trabalhando durante a gravidez

      Ainda que implique em algumas alterações no corpo e no estado de ânimo da mulher, a gravidez não é uma doença, e, portanto, não deve implicar na ruptura da sua rotina diária. A gravidez não deve ser um obstáculo para que a mulher trabalhe a não ser em alguns casos.

0 comentários